quarta-feira, 18 de março de 2009

UMA VIAGEM PELA VIDA DEPOIS DA MORTE

UMA VIAGEM PELA VIDA
DEPOIS DA MORTE
Por Patrícia Diane Cota-Robles

Tradução de Fátima Bessa


Jim McAndrew, um querido amigo, fez sua transição para os Reinos Interiores de Luz em 20 de fevereiro de 2009. No dia seguinte ao seu passamento, recebi um lindo e-mail descrevendo uma experiência de quase-morte de outra pessoa. Essa informação é profunda, muito inspiradora e reconfortante. Eu gostaria de compartilhá-la com você agora.
Enquanto você estiver lendo essas palavras, entre para o local da sua Divindade em seu coração. Peça à sua Presença EU SOU para te ajudar a seguir essa experiência de quase-morte como se você mesmo estivesse na jornada sagrada. Essa é realmente uma oportunidade de expandir a mente e elevar a consciência para todos nós.
Ao expandir esse conhecimento sagrado através da Chama do Coração, você ancora essa verdade profunda no Sistema da Rede Cristalina da Terra. E você a expande através dos estratos mental e emocional do planeta. Essa sabedoria estará, então, tangivelmente disponível para as massas da Humanidade, e isso elevará a Vida em termos de energia, vibração e consciência.
Em meio ao caos e à confusão que estão emergindo para serem curadas nessa hora, essa informação será um presente poderoso para TODA VIDA nesse planeta.


Uma viagem através da luz e o retorno
História da experiência de quase-morte

de Mellen-Thomas Benedict

Em 1982 eu morri de câncer terminal.
A minha condição era inoperável, e qualquer tipo de quimioterapia que me dessem apenas me teria transformado mais num vegetal.
Eles me deram de seis a oito meses de vida.
Eu havia sido um fanático por informação durante a década de 70, e ficara cada vez mais desesperançado devido à crise nuclear, à crise ecológica, etc. Portanto, como eu não tinha uma base espiritual, comecei a acreditar que a natureza havia cometido um erro e que provavelmente nós éramos um organismo canceroso no planeta. Eu não via nenhum meio de sairmos dos problemas que havíamos criado para nós mesmos e para o planeta. Eu via todos os seres humanos como câncer - e foi isso mesmo que eu tive.
E foi isso que me matou.


Tenha cuidado com a sua visão do mundo, pois ela volta para você, principalmente se for uma visão negativa.

Foi isso que levou à minha morte.
Tentei todos os tipos de métodos alternativos de cura, mas de nada adiantou.
Portanto, eu determinei que tudo isso era apenas entre eu e Deus.

Eu nunca havia realmente encarado Deus antes ou mesmo pensado muito em Deus.
Eu não estava ligado a nenhum tipo de espiritualidade na época, mas iniciei uma viagem para conhecer sobre espiritualidade e sobre cura alternativa. Eu comecei a ler tudo que podia e aprender tudo sobre o assunto, pois não queria ter nenhuma surpresa do outro lado.
Portanto, comecei a ler sobre várias religiões e filosofias.

Elas eram todas muito interessantes e me davam esperança de que houvesse algo do outro lado.
Eu acabei internado num hospital para pacientes terminais.
Eu me lembro de acordar uma manhã mais ou menos às 4 e meia e pensar que a minha hora tinha chegado.

Aquele era o dia em que eu ia morrer.
Liguei para alguns amigos e me despedi.
Acordei a atendente que cuidava de mim e disse a ela.
Eu tinha feito um acordo particular com ela de que ela deixaria o meu corpo morto sozinho por seis horas, pois eu tinha lido que todo tipo de coisas interessantes acontecem quando se morre.
E depois voltei a dormir.

A próxima coisa de que me lembro é de uma típica experiência de quase-morte.
De repente, eu estava plenamente consciente – e estava de pé, mas o meu corpo estava na cama. Havia uma espécie de escuridão em volta de mim. Estar fora do meu corpo era uma experiência mais vívida do que qualquer experiência comum. Era tão vívido que eu podia ver todos os cômodos da casa. Eu podia ver o alto da casa, eu podia ver em volta a casa, eu podia ver debaixo da casa.

Havia essa Luz brilhando.
Eu me voltei para a Luz.

A Luz se parecia com o que muitas outras pessoas haviam descrito em suas experiências de quase-morte. Ela era tão magnífica. Era tangível, você podia senti-la. E ela me chamava: você gostaria de ir até ela como gostaria de ir para os braços de um pai ou uma mãe ideais.
Quando comecei a me mover para a Luz, eu sabia intuitivamente que se eu fosse para a Luz estaria morto.

Então, enquanto me movia em direção à Luz, eu disse, “Por favor, espere um momento, espere só um segundo. Eu quero pensar a respeito de tudo isso. Eu gostaria de conversar entes de ir.”

Para minha surpresa, toda a experiência ficou suspensa nesse momento.
Você tem o controle da sua experiência de quase-morte.
Não é como uma volta numa montanha russa.

Portanto, o meu pedido foi concedido e eu tive uma conversa com a Luz. A Luz se transformava continuamente em diferentes figuras, como Jesus, Buda, Krishna, mandalas, imagens e sinais arquetípicos.

Eu perguntei à Luz, “O que está acontecendo aqui? Por favor, Luz, mostra para mim o que você é. Eu quero muito conhecer a realidade da situação.”

Não consigo dizer quais foram as palavras exatas, pois era um tipo de telepatia.
A Luz respondeu.

A informação transferida para mim é de que numa experiência de quase-morte as suas crenças moldam o tipo de resposta que você recebe da Luz.
Se você é Budista, Católico ou Fundamentalista, a resposta volta para você dentro do seu próprio sistema. Você tem a chance de olhar melhor para ele e avaliá-lo, mas a maioria das pessoas não o faz.

Enquanto a Luz se revelava para mim, eu tomei consciência de que o que eu estava vendo na verdade era a matriz do nosso Eu Superior.

Todos nós temos um Eu Superior, ou a parte álmica do nosso ser.
Ele se revelou para mim em sua forma de energia mais verdadeira.

A única forma de realmente descrevê-lo é que o Ser Superior é na verdade um conduto.
Ele não tinha a aparência de um condutor, mas era uma conexão direta com a Fonte que cada um de nós possui.

Estamos diretamente conectados com a Fonte.
Portanto, a Luz estava me mostrando a matriz do nosso Eu Superior.
Eu não estava ligado a nenhuma religião em particular.
Portanto, isso é o que me foi mostrado durante a minha experiência de quase-morte.

Como eu pedi à Luz para continuar a me ensinar, continuar a me explicar, eu entendi o que é a matriz do Eu Superior.
Nós temos uma rede em volta do planeta à qual estão ligados todos os Eus Superiores.
Na verdade é como uma grande companhia, o próximo nível de energia sutil à nossa volta, o nível espiritual, por assim dizer. Então, após alguns minutos, eu pedi mais explicação. Eu realmente queria saber como era o universo e dessa vez eu estava pronto para ir.
Eu disse, “Estou pronto, leve-me.”

Então a Luz se transformou na coisa mais linda que eu já tinha visto: uma mandala de almas humanas desse planeta.

Bom, eu cheguei até aqui com a minha visão negativa do que estava acontecendo com esse planeta. Portanto, como eu pedi à Luz para continuar a me ensinar, vi nessa mandala maravilhosa como nós somos belos em nossa essência, em nosso interior. Nós somos as criações mais belas.

A alma humana, a matriz humana que nós formamos juntos, é absolutamente fantástica, elegante, exótica, tudo. Eu simplesmente não consigo explicar mais como essa visão mudou a minha opinião a respeito dos seres humanos naquele momento.

Eu disse, “Oh, Deus, eu não sabia como somos belos.”

Em qualquer nível, alto ou baixo, qualquer que seja a sua forma agora, você é a criação mais bela.

As revelações vindas da Luz pareciam continuar sem interrupção.
Então perguntei à Luz, “Isso quer dizer que a Humanidade será salva?”
Então, como um toque de trompete com uma chuva de luzes em espiral, a Grande Luz falou, dizendo, “Lembre-se disso e nunca se esqueça, você salva, redime e cura a si mesmo. Sempre foi assim. Sempre será. Você foi criado com esse poder desde o começo do mundo.”

Nesse instante eu me dei conta de outra coisa.
Eu me dei conta de que NÓS JÁ ESTAMOS SALVOS.

E nós já nos salvamos porque fomos planejados para nos auto-corrigir, como todo o resto do universo de Deus.
Isso é que é a segunda vinda.

Eu agradeci à Luz de Deus de todo o meu coração.
A única coisa que consegui fazer foi dizer essas simples palavras de completa compreensão e gratidão: “Oh, bom Deus, bom Universo, grande Eu Superior, eu amo a minha vida!”

A Luz parecia me envolver ainda mais profundamente.
Era como se a Luz estivesse me absorvendo completamente.
Essa Luz de Amor continua sendo, até o dia de hoje, indescritível.

Eu entrei em outro reino, mais profundo do que o anterior, e me tornei consciente de muitas outras coisas. Era um enorme Fluxo de Luz, vasto e pleno, profundo no Coração da Vida.

Eu perguntei o que era,
A Luz respondeu,
“É o RIO DA VIDA. Beba dessa água sagrada o quando quiser.”
E foi o que fiz.

Sorvi um grande gole e depois mais outro. Beber da própria Vida!
Eu estava em êxtase.

Depois a Luz disse:
“Você tem um desejo.”
A Luz sabia tudo sobre mim, tudo sobre o meu passado, presente e futuro.
Eu sussurrei, “Sim.”

Eu pedi para ver o resto do universo, além do nosso sistema solar, além de toda ilusão humana. A Luz me disse que eu poderia ir com o Fluxo. Eu fiz isso e fui carregado através da Luz no fim do túnel. Eu ouvi e senti uma série de sons graves e suaves. Que pressa!

De repente, eu parecia estar viajando vertiginosamente para longe do planeta nesse fluxo de vida. Eu vi a Terra ficar para trás. Passei num zunido pelo sistema solar, em todo o seu esplendor, e ele desapareceu.

Numa velocidade maior que a da luz, voei pelo centro da Galáxia, absorvendo mais conhecimento enquanto viajava. Aprendi que esta Galáxia, bem como todo o Universo, está completamente repleta de muitas variedades diferentes de VIDA.
Eu vi muitos mundos.

A boa nova é que não estamos sozinhos neste Universo!

Enquanto eu viajava nesse fluxo de consciência através do centro da galáxia, o fluxo se expandia em incríveis ondas fractais de energia.
Os super aglomerados de galáxias, com toda a sua antiga sabedoria, passaram por mim. No início pensei que estava indo a algum lugar, realmente viajando. Mas então me dei conta de que à medida que o fluxo se expandia, a minha própria consciência também se expandia para absorver tudo do universo.
Toda a criação passou por mim.
Eu estava num estado de encantamento inimaginável!
Eu era realmente um Filho do Milagre, uma criança na Terra Encantada!

Nesse ponto, eu me encontrei num profundo silêncio além de todo silêncio.
Eu podia ver ou perceber ETERNIDADE além do Infinito.
Eu estava no Vazio.
Eu estava na pré-criação, entes do Bing Bang.

Eu havia passado para o início do tempo/a Primeira Palavra/a Primeira Vibração. Estava no Olho da Criação. Senti como se estivesse tocando a Face de Deus. Não havia um sentimento religioso. Eu simplesmente era uno com a Vida e Consciência Absolutas.

Quando digo que podia ver ou perceber a eternidade quero dizer que podia ter a experiência de toda a criação gerando-se a si mesma.
Isso não tinha começo nem fim.
Esse é um pensamento que expande a nossa mente, não é?

Os cientistas percebem o Big Bang como um único evento que criou o Universo. Eu vi, durante a minha experiência de quase-morte, que o Big Bang é apenas um entre um número infinito de Big Bangs criando Universos continuamente e simultaneamente.
As únicas imagens que podem se aproximar disso em termos humanos é a de super-computadores usando equações de geometria fractal.

Os antigos sabiam disso.
Eles diziam que Deus tinha periodicamente criado novos Universos através da sua inspiração e recriado outros Universos através da sua expiração. Essas eras eram chamadas de Yugas. A ciência moderna chama isso de Big Bang. Eu era pura e absoluta consciência. Eu pude ver e perceber todos os Big Bangs ou Yugas criando e recriando a si mesmos. Imediatamente entrei em todos eles simultaneamente.
Vi que todo e cada pequeno pedaço de criação tem o poder de criar.
É muito difícil tentar explicar isso.
Eu ainda estou sem palavras.

Depois que retornei da minha experiência de quase-morte,
levei anos para assimilar toda aquela experiência do Vazio.
Posso dizer-lhe isso agora: o Vazio é menos que nada e, no entanto,
é mais do que tudo que existe!

O vazio é o Zero Absoluto, é o caos formando todas as possibilidades.
É a Consciência absoluta, muito mais do que Inteligência absoluta.
O Vazio é o vácuo ou o nada no meio de todas as manifestações físicas.
É o ESPAÇO entre os átomos e seus componentes.

A ciência moderna começou a estudar esse espaço que existe no meio de tudo.
Os cientistas o chamam de Ponto Zero.

Toda vez que tentam medi-lo, os instrumentos saem de escala, vão para o infinito, por assim dizer. Os cientistas ainda não conseguiram até agora uma maneira de fazer uma medida precisa do infinito. Existe mais do espaço zero em seu próprio corpo e também no universo do que qualquer outra coisa!

O que os místicos chamam de Vazio não é um vazio.
É completamente cheio de energia, de um tipo diferente de energia que criou tudo que existe.

Tudo desde o Big Bang é vibração, vem da primeira Palavra, do Verbo, que é a primeira vibração. O “Eu Sou” bíblico na verdade tem um ponto de interrogação depois – “EU SOU - O que Eu sou?”
Portanto, a criação é Deus explorando o Self de Deus de todas as formas imagináveis, uma infinita e ininterrupta exploração através de cada um de nós. Comecei a ver, durante a minha experiência de quase-morte, que todo que existe é o Eu, literalmente o seu Eu, o grande Eu, o grande Self.
Tudo é o grande Eu, o grande Self.
É por isso que Deus sabe quando até uma folha cai.

Isso é possível porque, onde quer que você esteja, você está no centro do universo. Onde quer que qualquer átomo esteja, ali está o centro do universo. Existe Deus ali, e Deus no Vazio.

Enquanto, durante a minha experiência de quase-morte, eu explorava o Vazio e todos os Yugas ou criações, estava completamente fora do tempo e do espaço da forma como os conhecemos. Nesse estado expandido, descobri que a criação tem a ver com Consciência Pura e Absoluta, ou Deus, vindo para dentro da Experiência de vida da forma como a conhecemos.

O próprio Vazio é livre de experiência.
É uma pré-vida, antes da primeira vibração.
A Divindade é mais do que Vida e Morte.
Portanto, existe mais do que Vida e Morte para serem experienciados no Universo.


Quando me dei conta disso, tinha terminado o que havia a aprender com o Vazio e quis retornar a esta criação, ou Yuga. Apenas parecia ser a coisa mais natural a fazer. Então, de repente eu voltei através da segunda Luz, ou do Big Bang, ouvindo vários outros sons suaves. Eu viajei no fluxo de consciência de volta através de toda a criação, e que viagem!

Os super aglomerados de galáxias passaram com ainda mais insights para mim. Passei pelo centro da nossa galáxia, que é um buraco negro. Buracos negros são os grandes processadores ou recicladores do Universo.

Você sabe o que existe do outro lado de um buraco negro?
Somos nós que estamos lá, a nossa Galáxia, que foi processada de um outro universo.
Em sua configuração total de energia, a Galáxia parecia uma fantástica cidade de luzes.
Toda a energia desse lado do Big Bang é de Luz.

Cada sub-átomo, cada átomo, estrela, planeta e mesmo a própria consciência é
feita de Luz e tem uma partícula e/ou freqüência.
A Luz é uma matéria viva.
Tudo é feito de Luz, até mesmo as pedras.
Portanto, tudo está vivo.
Tudo é feito da Luz de Deus; tudo é muito inteligente.

Enquanto viajava no fluxo de consciência, depois de um tempo eu vi uma enorme Luz vindo em minha direção. Eu sabia que era a Primeira Luz; a Matriz de Luz do Eu Superior do nosso Sistema Solar. Então todo o Sistema Solar apareceu na Luz, junto com um daqueles sons suaves.

Eu pude ver toda a energia que este sistema Solar gera, e é um incrível show de Luz!
Eu ouvi a Música das Esferas.
O nosso sistema solar, da mesma forma que outros corpos celestiais, gera uma matriz única de luz, som e energias vibratórias.

Civilizações avançadas de outros sistema solares podem localizar a Vida como a conhecemos através da marca de sua matriz de energia ou matriz vibratória.
É uma brincadeira de criança fazer isso.
O filho prodígio da Terra (o Seres Humanos) está fazendo uma grande quantidade de sons nesse momento, como crianças brindando no quintal do Universo.

A Luz me explicou que não existe morte; nós somos Seres imortais.
Nós estamos vivos desde toda a eternidade!

Eu me dei conta que nós somos parte de um sistema vivo natural que se recicla perpetuamente. Nunca me disseram que eu teria que voltar. Eu apenas sabia que isso ia acontecer. Era apenas natural, depois do que eu havia visto durante a minha experiência de quase-morte.

Eu não sei por quanto tempo estive com a Luz, em termos humanos. Mas houve um momento em que me dei conta de que todas as minhas perguntas haviam sido respondidas e que a minha volta estava próxima.

Quando digo que todas as minhas perguntas haviam sido respondidas do outro lado, é exatamente isso que quero dizer. Todas as minhas perguntas foram respondidas. Cada ser humano tem uma série diferente de questões a explorar. Algumas das questões são universais, mas cada um está explorando essa coisa que chamamos vida da sua própria maneira única e particular. Portanto, o mesmo acontece com cada outra forma de vida, desde as montanhas até uma folha de árvore.

Isso é muito importante para todos nós nesse Universo.
Porque tudo contribui para o Grande Quadro, para a plenitude da Vida.
Nós somos literalmente Deus explorando o Self de Deus numa infinita Dança da Vida.
A nossa singularidade enriquece toda a Vida.


Quando comecei o meu retorno para o ciclo da vida, nunca me passou pela cabeça, e nem ninguém me contou, que eu voltaria para o mesmo corpo. Isso simplesmente não tinha importância. Eu tinha total confiança na Luz e no processo da Vida. Quando o fluxo se fundiu com a grande Luz, eu pedi para nunca esquecer as revelações e as percepções do que havia aprendido do outro lado.

Houve um “Sim.”
E senti como se recebesse um beijo na minha alma.

Então fui trazido de volta através da Luz para dentro do reino vibratório novamente.
Todo o processo foi revertido, enquanto recebia mais informação.
Voltei para casa e, na minha experiência de quase-morte,
recebi lições sobre o mecanismo da reencarnação.
Recebi respostas para todas as pequenas perguntas:
“Como isso funciona? Como aquilo funciona?”
Eu sabia que seria reencarnado.

A Terra é um grande processador de energia, e a consciência individual evolui a partir da Energia para dentro de cada um de nós. Eu me vi como humano pela primeira vez na minha vida, e estava feliz com isso.
De tudo que havia visto, eu ficaria feliz de ser um átomo nesse Universo.
Um átomo.
Portanto, ser uma parte humana de Deus – essa é a bênção mais fantástica.

É uma bênção que vai além da nossa mais louca estimativa do que uma bênção pode ser. Cada um de nós, não importa onde está, se é errado ou atrapalhado, é uma bênção para o planeta, exatamente onde está.

Passei pelo processo de reencarnação esperando ser um bebê em algum lugar.
Mas recebi uma lição sobre como a identidade individual e a consciência evoluem.

Fiquei muito surpreso quando abri meus olhos.
Não sei por que, pois entendi o que estava acontecendo, mas mesmo assim foi uma grande surpresa estar de volta no nesse corpo. De volta ao meu quarto, onde alguém estava olhando para mim, chorando copiosamente. Era a atendente do centro de tratamento. Ela havia deixado o meu corpo sozinho durante uma hora e meia depois que me encontrou morto.
Meu corpo estava duro e rígido e ela foi para o outro quarto.
Então eu acordei e vi uma luz do lado de fora.
Tentei me levantar, mas caí da cama.
Ela ouviu um barulho e voltou correndo, encontrando-me no chão.


Quando me recuperei, estava muito surpreso, mas também maravilhado com o que me tinha acontecido durante a minha experiência de quase-morte. No início eu não tinha toda a lembrança do que tinha acontecido, como tenho agora. Eu saía deste mundo e me perguntava, “Será que estou vivo?”.

Este mundo parecia mais como um sonho do que o outro.
Dentro de três dias eu me sentia normal de novo, mais lúcido, mas ao mesmo tempo diferente do que jamais tinha sido em minha vida.
Minha memória da minha experiência de quase-morte voltou mais tarde.

A partir daí eu não conseguia ver nada de errado com nenhum Ser humano que eu já tivesse encontrado. Antes eu costumava realmente julgar as pessoas. Achava que muitas pessoas eram realmente confusas e erradas. Na verdade, achava que todas as pessoas eram confusas e erradas, exceto eu.
Mas eu aprendi a lição.

Mais ou menos três meses depois, um amigo disse que eu devia fazer outros testes, portanto fui e fiz tomografias e tudo mais. Eu me sentia mesmo muito bem, mas estava com medo de receber más notícias.

Eu me lembro que o médico na clínica, comparando as tomografias de antes e depois, me disse: “Bom, não existe nada aqui agora.”
Eu disse, “Mesmo? Deve ser um milagre.”
Ele respondeu, “Não, essas coisas acontecem. São chamadas de remissão espontânea.”

Ele não parecia nada impressionado.
Mas aconteceu um milagre, e eu estava impressionado, mesmo se ninguém mais estava.

Durante a minha experiência de quase-morte, desci ao que poderíamos
chamar de Inferno, e foi uma experiência surpreendente.
Não vi Satã e não vi o mal.
A minha descida ao Inferno foi uma descida à forma muito particular de miséria,
ignorância e escuridão de cada pessoa por não saber a verdade.
Parecia mais uma eternidade de sofrimento.

Mas cada uma dos milhões de almas à minha volta tinha uma pequena
estrela de Luz que estava sempre disponível.
Mas ninguém parecia prestar atenção a ela.
Eles estavam completamente envolvidos com o seu sofrimento, o seu trauma, a sua miséria.
Mas depois do que me pareceu uma eternidade, comecei a chamar aquela Luz,
como uma criança pedindo ajuda ao seu pai ou à sua mãe.

Então a Luz se abriu e formou um túnel que veio até mim e me isolou de todo aquele medo e dor.
Essa é a realidade do Inferno.

Portanto, o que estamos fazendo é aprendendo a nos dar as mãos, a ficar juntos.
As portas do Inferno estão abertas agora.
Nós vamos nos ligar, vamos nos dar as mãos e andar para fora do Inferno juntos.

A Luz veio a mim e se transformou num enorme Anjo.
Eu perguntei: ”Você é o Anjo da Morte?”
Ele me respondeu que era a minha super-alma, a matriz do meu Eu superior,
a parte muito, muito antiga do nosso Ser.
E então fui levado para a Luz.

Em breve a nossa ciência vai quantificar o espírito.
Nós estamos inventando máquinas que são sensíveis à energia sutil ou energia espiritual.
Os físicos usam colisões atômicas para destruir átomos e ver de que eles são feitos.
Eles já chegaram ao nível de quarks e de charm e tudo mais.
Bem, um dia vão chegar até essa coisa pequenina que nos mantém todos unidos,
e eles vão chamar essa coisa de... Deus.

Estamos apenas começando a compreender que também estamos criando
à medida que seguimos em frente.
Como vi nas regiões eternas, cheguei a um reino, durante a minha experiência de quase-morte, em que existe um ponto a partir do qual ultrapassamos todo conhecimento e começamos a criar o próximo fractal, o próximo nível.

Nós temos o poder de criar enquanto exploramos.
E isso é Deus se expandindo através de nós.

Desde a minha volta, tive muitas experiências espontaneas de Luz, e aprendi a ir até esse espaço de Luz quase a qualquer momento através da meditação.

Cada um de nós pode fazer isso.
Você não precisa morrer ou ter uma experiência de quase-morte para conseguir.
Isso é parte do seu equipamento, você já nasceu com essa capacidade.

O corpo é o mais extraordinário Ser de Luz que existe.
O corpo é um Universo de Luz incrível.
O espírito não nos está empurrando para dissolver o nosso corpo.
Não é isso que está acontecendo.
Pare de querer ser Deus; Deus está querendo ser você.
Aqui.

Eu perguntei a Deus:
“Qual é a melhor religião do planeta? Qual é a certa?”
E a Divindade disse, com muito amor: “Não me importa.”

Imediatamente, compreendi que é para nós nos importarmos com elas.
Religião é importante, porque nós somos os Seres que se importam e que cuidam.
Ela é importante para nós e é por isso que é importante.
O que você tem é a equação de energia da espiritualidade.

A Divindade última não se importa se você é Protestante, Budista ou o que quer que seja.
Cada uma das religiões é apenas uma linda faceta da totalidade.
Eu gostaria que cada uma das religiões se desse conta disso e deixasse as outras em Paz.
Isso não indica o fim de nenhuma religião, mas estamos aqui falando do mesmo Deus.

Viva e deixe viver.
Cada uma tem uma visão diferente.
E todas se somam para formar o grande quadro; isso é o que importa.

Eu fui para o outro lado na minha experiência de quase-morte cheio de medos a respeito de lixo tóxico, mísseis nucleares, explosão populacional, florestas tropicais.
Voltei amando cada um dos problemas.
Eu amo o lixo nuclear.
Amo a nuvem de cogumelo; é a mandala mais sagrada que já conseguimos
manifestar até hoje; é um arquétipo.

Essa mandala, mais do que qualquer religião ou filosofia na Terra, nos aproximou e subitamente nos levou a um outro nível de consciência.
Sabendo que talvez possamos explodir o planeta cinqüenta vezes, ou quinhentas vezes, finalmente compreendemos que estamos todos juntos aqui.

Por algum tempo, eles ainda tiveram que continuar a fazer bombas para nos destruir.
Depois começamos a dizer: “Não precisamos mais disso.”
Agora estamos, na verdade, num mundo mais seguro do que jamais esteve,
e vai continuar a se tornar mais seguro ainda.

Portanto, voltei da minha experiência de quase-morte amando o lixo tóxico, porque ele nos aproximou. Essas coisas são importantes. Como poderia dizer Peter Russell, esses problemas são “do tamanho da alma.”
Será que temos respostas do tamanho da alma?
SIM!

A derrubada da floresta tropical vai diminuir, e dentro de cinqüenta anos
haverá mais árvores no planeta do que temos tido há muito tempo.
Se você se interessa por ecologia, vá fundo.
Você pertence àquela parte do sistema que está tomando consciência.
Vá fundo com toda força, mas não fique deprimido.
Tudo isso á parte de um quadro maior.

A Terra está num processo de se domesticar.
Nunca mais haverá lugares selvagens da forma como havia.
Haverá grandes lugares selvagens, reservas onde os animais podem se multiplicar.
Jardinagem e as reservas serão coisas do futuro.
O aumento da população está próximo do ponto ótimo de energia
para causar uma mudança de consciência.
Essa mudança de consciência vai mudar a política, o dinheiro, a energia.

Depois de morrer, depois de passar pela experiência de quase-morte e voltar,
passei a realmente a respeitar a vida e a morte.

Em nossos experimentos com o DNA, podemos mesmo ter aberto a porta de um grande segredo. Em breve seremos capazes de viver quanto tempo quisermos nesse mesmo corpo.

Depois de viver mais ou menos 150 anos, você saberá intuitivamente
que a sua alma quer mudar de canal.

Viver eternamente em um só corpo não é tão criativo quanto a reencarnação,
quanto transferir a sua energia nesse fantástico vórtex de energia.

Na verdade, vamos perceber a sabedoria da Vida e da morte, e vamos aproveitá-la.

De qualquer modo, da forma como estamos hoje nós já vivemos desde toda a eternidade.

Esse corpo no qual você se encontra agora já está vivo desde toda a eternidade.
Ele vem de um infindável Fluxo de Vida que teve início no Big Bang e até mais além.
Esse corpo dá vida para a próxima vida em energia densa e sutil.
Esse corpo já está vivendo desde toda a eternidade.

___________________________________

Colaboração: Fátima Bessa

Fonte: http://eraofpeace.org

___________________________________

Muita Luz!!

Stela

2 comentários:

  1. "Pare de querer ser Deus; Deus está querendo ser você."
    Esta frase deveria ser escrita no céu de cada uma das cidades do planeta, para que todos a lessem.
    Obrigado pela publicação do texto.

    ResponderExcluir
  2. CONCORDO SÉRGIO!!!!!

    :o))

    Beijos de Luz!!
    Stela

    ResponderExcluir