domingo, 14 de junho de 2020

⚜ ADAMUS - SÉRIE DA PAIXÃO - SHOULD 10


OS MATERIAIS DO CÍRCULO CARMESIM

Série da Paixão 2020 - SHOUD 10

Apresentando ADAMUS SAINT GERMAIN
canalizado por Geoffrey Hoppe

Apresentado ao Círculo Carmesim
em 6 de junho de 2020
www.crimsoncircle.com

Eu Sou o que Sou, Adamus of Sovereign Domain.

Bem-vindo, meus caros amigos, ao Shoud 10 da Série da Paixão 2020. Estamos absolutamente no lugar certo no momento certo. Quero dizer, não exatamente aqui na Villa Ahmyo, mas nós, enquanto Shaumbra, enquanto grupo, estamos absolutamente no lugar certo no momento certo.

Vamos respirar fundo com isso.

Não há equívocos ao longo do caminho. E, para aqueles que estiverem assistindo a isto posteriormente, os novos que estão chegando, vocês vão considerar este um Shoud significativo – bem como os próximos dois Shouds mais ou menos –, muito significativos, como um ponto de virada, um marco, um tempo de verdadeira Realização.

Ao longo dos anos, tivemos muitos Shouds, muitas conversas sobre muitos assuntos e, como sabem, parte delas é plena distração. É isso – diversão, distração –, espero que alguma sabedoria e ótima informação, vez ou outra, mas agora, nestes próximos três Shouds, particularmente, chegamos num ponto muito importante.

Na realidade, vou pedir que esta Série da Paixão 2020 tenha 12 Shouds no total. Então, será este mês de junho, depois julho e, então, agosto. Depois disso, iniciaremos a próxima série. Mas os próximos três meses serão muito importantes, lindamente importantes.

Sei que chegarão novas pessoas daqui a um ano, cinco, dez anos, e elas vão querer pular logo pra este Shoud, porque terão ouvido falar sobre ele. Terão ouvido falar que os Shouds 10, 11 e 12 foram como pontos culminantes. Elas vão querer estar bem no meio de tudo isso. Vão querer sentir e talvez vivenciar isso elas mesmas. Tudo bem.

Ainda vão descobrir que é bom voltar para alguns dos Shouds anteriores, porque, juntos, nós desenvolvemos tudo isso. Quero dizer, tem sido um processo em construção. Tem sido um processo em expansão, em crescimento. Fizemos isso juntos e agora chegamos aqui.

E, então, fica aquela grande pergunta: “Então, o que vem depois do Shoud 12?”
Bem, como dissemos no Keahak, não existe realmente um “depois”.

Vejam, o humano adora ficar fazendo essa pergunta: “E depois?” Quer saber o que vai acontecer no futuro. E, se vocês estiverem no Keahak, vocês sabem que falamos do fato de que não há um futuro. Não há um “depois”. Está tudo no Agora. Está tudo acontecendo junto.

Não existe mais uma ansiedade acerca do “depois”. Não existe mais uma preocupação com o futuro, seja o seu futuro, seja o futuro do planeta. Essas coisas simplesmente desaparecem. Está tudo no momento do Agora. Está tudo acontecendo junto, e o resultado é algo com o qual vocês não têm que se preocupar, porque vocês sabem que estará em perfeição, porque a energia de vocês está servindo vocês. Não há mais preocupação com: “Como vai acontecer? Como vai acontecer?” Vocês sabem que vai acontecer porque é a energia de vocês servindo vocês. Então, sim, teremos mais dois Shouds.

Este é, como vou chamar, o Verão (Inverno, no hemisfério sul) da Paixão. Alguns O Verão (Inverno) da Paixão. Alguns mais antigos devem se lembrar do Verão do Amor, nos idos de 1960. Mas talvez vocês se recordarão deste como sendo o Verão da Paixão, de, enfim, permitir a Realização, de, enfim, alcançar a Realização, o que me leva ao próximo assunto, depois de um gole deste delicioso café Kona. Eu me acostumei a ele já que Cauldre e Linda estão aqui há tanto tempo. Eu me acostumei a este delicioso café Kona. Dá pra sentir a Terra no café. Dá pra sentir o espírito nativo. Dá pra sentir a ilha e o oceano. Então, realmente espero que eles levem muito desse café quando voltarem, pra que eu possa continuar me deliciando, quando voltarem pra casa, no Colorado. Mas fugi do assunto aqui.

Sart

O que vem depois é que quero falar rapidamente sobre nosso querido amigo Sart. Sart. Muitos de vocês o conheceram através dos Shouds. Alguns tiveram o prazer de estar com ele. Ele está ao meu lado neste momento. Ele está aqui neste Shoud.

Ele está extremamente feliz. Ele está sorrindo. Ele está satisfeito. Ele está satisfeito com toda essa manifestação de amor, essa sensibilização, por ele por parte dos Shaumbra, na mídia social e nas conversas entre os Shaumbra.

(Foto: Sart & Adamus - Foto tirada em 11 de dezembro de 2010)

Ele jamais imaginou o quanto era verdadeiramente querido. Nunca imaginou que tantos Shaumbra pelo mundo afora o conhecessem, rissem com ele e sentissem sua energia. Então, isso deu a ele uma tremenda alegria.

Vejam, realmente quero dizer que ele se realizou. E a versão meio curta da história... Cauldre fala sobre isso em seu artigo na revista, este mês, mas a versão curta da história é que, bem, ele frequentou os Shouds por anos a fio e ele era o tipo de Shaumbra que achava que muitos outros alcançariam a Realização primeiro. Ele não se achava nada espiritual, nem que estivesse na vanguarda do que estamos fazendo. Ele adorava isso, adorava os Shaumbra, mas nunca achou que ele seria um dos primeiros.

Algumas semanas antes de sua morte, de sua passagem, o que, por sinal... E ele está fazendo alguns comentários aqui que eu passarei pra vocês. Mas ele quer lembrar a todos vocês que a morte é algo muito, muito fácil. Ele está dizendo bem agora: “Não tem nada a temer mesmo.” O fato é que é bem, bem mais fácil do que nascer, então, se vocês ainda tiverem alguns medos ou restrições com relação à morte, absorvam do Sart, um homem que acabou de fazer isso. É muito fácil. É muito libertador, de certa forma.

Faltava cerca de duas semanas para sua Realização e, como é o Sart, ele tocava seu trabalho. Ele adorava a Terra, e disso isso literalmente. Ele adorava terra. Era a profissão dele – mexer com a terra. Ele adorava trabalhar com a terra e adorava o grande equipamento que usava pra remover a terra. Mas também adorava sujar as mãos de terra.

Bem, ele tinha ouvido falar muito, é claro, como todos vocês, de Permitir. Ele conhecia a palavra “permitir”. Ele entendia toda essa coisa de relaxar em direção à Realização de um ponto de vista conceitual, mental, mas, como muitos, isso não tinha sido internalizado. Era um pensamento. Era uma palavra bacana, um clichê legal, mas ele realmente não tinha assimilado o que isso significava.

Bem, algumas semanas antes de sua passagem, por fim, ele entendeu, teve um grande “aha”. Ele estava tendo sonhos bem estranhos nessas semanas, até mesmo antes. Sonhos que alguns dizem que são muito perturbadores. E ficava tentando entender do que se tratava isso. Mas era realmente uma liberação final. Muitas vezes, vocês vão vivenciar isso no estado de sonho. Vão vivenciar essa liberação final das coisas que o dragão vem tentando fazer com que vocês liberem.

Desse modo, enfim, ele conseguiu Permitir – não aqui em cima [na cabeça], mas aqui [no coração]. E isso o atingiu. Isso o atingiu: “Permitir! Significa apenas deixar ir! Confiar no meu Eu, no Eu Sou, no Mestre, no humano, tudo junto. Permitir um processo natural.” Sem pensar sobre isso nem tentar Permitir. Mas é isso, simplesmente Permitir, como abrir todas as janelas e portas da casa e deixar que tudo entre. Ele assimilou isso de um modo grandioso, profundo.

E, então, nas semanas seguintes, ele simplesmente estava permitindo. Ele estava permitindo que tudo viesse pra vida dele. Sem se segurar, sem tentar entender nada, sem processar nem nada dessas outras coisas, simplesmente permitindo.

Ele permitiu tanto que, um dia, pouco depois de trabalhar com a terra, ele foi pra dentro de si e, subitamente, sentiu-se tomado por uma onda, uma espécie de onda reconfortante, maravilhosa, quase como se estivesse imerso em água morna, gostosa, mas uma água em que não dá pra se afogar, uma água revigorante, e que estava liberando as dores do corpo, os velhos “pensamentos de merda” da mente, como Sart diria.

Ele estava nessa linda onda, que pareceu durar mais de uma hora, ou coisa assim. Ele não se lembra do que estava fazendo nesse momento. Provavelmente, estava sentado numa cadeira ou... ele está dizendo que, de fato, acha que estava na sua varanda, mas estava nessa onda, simplesmente maravilhado com o que estava sentindo.

Ele nunca tinha sentido nada assim antes, e, de repente, do jeito do Sart, ele disse: “Oh, merda! Oh, merda! Acho que morri. Acho que fiz a passagem, porque não estou sentindo meu corpo, ao menos não do jeito que eu sentia. Não estou tendo pensamentos conflitantes na cabeça. Tudo está bem. Tudo tem um sentido de unidade, mas não uma unidade do lado de fora, uma unidade do lado de dentro.”

Tudo estava num estado de perfeição, na condição de ser, mas não numa perfeição que a mente é capaz de inventar; estava tudo lá. De repente, ele se sentiu totalmente livre, mas ainda disse: “Oh, merda! Acho que acabei de morrer.” Porque, literalmente, ele viu seu corpo estendido no chão. Seu corpo tinha tido um ataque cardíaco, e ele foi liberado do corpo, se encontrando agora nesse estado lindo, mas alterado, e se encontrando, de fato, pensando exatamente no que estava acontecendo, sem realmente saber o que era, pensando se estava morto, e logo ficou muito claro pra ele que ele estava.

Ele estava, porque, de repente, eu estava lá, Tobias estava lá, Kuthumi e tantos outros estavam lá. E, quando ele viu o FM, aquele antes conhecido como John Kuderka, ele soube que, provavelmente, tinha feito a passagem. E, depois, na verdade, estava a Doutora Cheryl – Doutora Cheryl, que também fez a passagem recentemente –, que meio que confirmou pra ele: “Então, você está conosco agora. Você não está mais na Terra. Está conosco.”

Bem, como é típico dele, como Sart faria, disse alguns: “Oh, merda! Oh, merda!” Vejam bem, pensando em todas as coisas que meio que tinha deixado pra trás – negócios inacabados: “Oh, merda, o que vou fazer?” Mas, então, ele abriu aquele imenso sorriso do Sart e disse: “Não importa. As coisas vão se resolver. Não importa.”

Então, em algumas das minhas conversas iniciais com Sart, antes mesmo de ele chegar ao Clube dos Mestres Ascensos, uma das coisas que ele ressaltou – e que ele quer que eu diga a todos vocês neste momento – é algo que talvez eu devesse ter pensado, mas ele disse: “Tenham algo que represente reconexão.”

Vejam, porque, quando vocês alcançarem a Realização, quando chegarem nessa hora, será algo além das palavras em termos da beleza de si mesmos, do amor de si mesmos, e é muito fácil simplesmente transcender nesse momento. Digo, através da morte, transcender.

Então, nosso caro Sart disse: “Tenham uma palavra ou frase, tipo ‘Oh, merda!’, vejam bem, pra trazê-los de volta ao corpo, se escolherem ficar, se escolherem permanecer no planeta, ou um objeto para a reconexão.”

Vejam, fizemos isso no DreamWalker Death (Morte), ter algo que traga vocês de volta das outras esferas, algo com o qual vocês se relacionem, talvez um brinquedo favorito, um instrumento musical favorito ou algo assim.

Mas que seja, provavelmente, um bom lembrete, porque muitos de vocês vão se deparar com isso nos próximos três meses – com a chegada à Realização, largando os últimos conflitos internos e os desequilíbrios e trazendo grande parte de seu corpo de luz. E, quando chegam a esse ponto, é muito sensual e sedutor, muito lindo. Vocês realmente se perguntam: “Por que eu ficaria? Por quê?”

A Terra, estar na forma humana, é difícil, tem sido difícil, afinal. As vibrações da Terra são muito, muito desafiadoras. Uma das coisas que Sart sentiu quando partiu foi como se estivesse numa câmara de descompressão. Ele ficou lá por um longo período de tempo, se descomprimindo, porque, vejam, vocês ficam muito comprimidos e condensados quando estão neste planeta na forma humana.

Então, ele disse: “Tenham uma palavra, uma frase, algo que chame vocês de volta para seu eu humano.” Vejam, ele de fato nunca pensou realmente nisso, na morte, no que aconteceria. Ele nunca realmente pensou: “Será que eu quero ficar ou partir?” Ele não pensou que iria morrer. Ele não achava que estaria realizado também, e esse é um ponto muito importante pra todos vocês.

Vocês podem não achar que vai acontecer de imediato, que deve acontecer com os outros, mas ele está dizendo: “Estejam preparados agora. Façam a escolha agora, a escolha de se vão ficar na forma humana, porque é muito sedutor quando chegarem a esse ponto da Realização simplesmente dizerem: ‘Pra mim, chega. E estou sentindo tamanha beleza e criatividade agora... por que voltar?’”

Por que voltar? Porque eu sei que seu humano e mesmo seu Mestre adorariam isso.

Por que voltar? Porque vocês querem estar aqui, neste momento, no planeta nesta Era das Máquinas. É também o tempo do vírus.

Por que voltar? Porque vocês planejaram isso há muito tempo. Não é que vocês tenham que ficar por um período muito longo, a menos que assim escolham, mas peço a vocês agora, como Sart está avisando... peço a vocês enquanto humanos: “Vocês estão escolhendo voltar?”

E ele também está acrescentando uma coisa agora... Tiraram a cadeira que estava aqui. Eu ia fazer o Sart se sentar nela, mas tudo bem. Vamos trazer a cadeira do Sart de volta, se possível, querida Linda. Eu sei que, normalmente, é você que se senta nela, mas temos um convidado este mês, se você não se importa que Sart se sente aqui.

LINDA: É um prazer.

ADAMUS: Sart está dizendo: “Considerem isso agora”. Coisa que ele não fez. E talvez um dos maiores valores da passagem de Sart seja ele poder compartilhar algumas dessas coisas com vocês. Ele passou por isso e agora pode dizer: “Estando aqui, agora, como humanos, vocês querem ficar?” E, se disserem que não têm certeza, vocês vivenciarão mais ou menos o que aconteceu com ele, literalmente – todas as energias lindas e sensuais –, literalmente, saindo do corpo, mesmo que tentem não sair.

Então, vocês querem ficar?

E, também, ele está dizendo a todos vocês: “Eu não achava que me realizaria antes de muitos de vocês.” E, repito, isto não é uma competição, mas ele achava que talvez estivesse na rabeira, atrás de muitos Shaumbra. Não que ele pensasse mal de si mesmo, mas ele admirava muito vocês e achava que vocês já estavam caminhando como Mestres e que ele ainda estava aprendendo com vocês.

Mas ele está dizendo: “Simplesmente, acontece. Simplesmente, acontece.” E, de repente, a vocês estão realizados. De repente, vocês estão permitindo. De repente, vocês chegam lá. E estejam preparados pra isso agora, porque vai acontecer.

Acho que um dos maiores choques para o Sart foi de repente estar realizado. Nem todos vocês vão vivenciar isso do jeito que ele vivenciou – não estou falando da parte da morte, mas da parte do “de repente passar a permitir”. Vocês todos vivenciarão isso de maneiras diferentes, mas estejam preparados agora. Estejam preparados. Não é verdade?

Ele disse: “Oh, merda! É, sim”. E, então, tenham esse objeto ou frase de reconexão que os traga de volta pra cá. E ele está dizendo: “Ainda assim será uma luta. Ainda assim haverá uma força muito sensual que parece que vai levá-los do planeta. Mas, em última instância, se tiverem clareza agora sobre o que querem fazer, então, vocês acabarão ficando.”

E ele está dizendo, bem, ele está realmente pedindo a todos vocês que fiquem, se possível. Não há nada de errado, se vocês aparecerem do outro lado. Nada de errado com isso. Mas ele está pedindo a vocês que fiquem, porque este momento é um momento muito importante no planeta.

Então, obrigado, Sart, por suas experiências e por compartilhá-las. E nós queremos realmente compartilhar uma historinha. Quando... Depois que ele fez a passagem, depois de um tempinho se aclimatando, percebendo que realmente tinha feito a passagem, nós o levamos ao Clube dos Mestres Ascensos.

Agora, fizemos uma celebração e tanto, uma celebração e tanto, e foi uma das maiores, porque sabíamos que, com Sart chegando ao Clube dos Mestres Ascensos, sabíamos que teríamos histórias, que riríamos dia e noite, que ficaríamos com nossas barrigas e rostos doendo de tanto rir e sorrir. E, na verdade, isso se provou ser verdade, mas... mas começou com a gente levando ele lá.

Quando ele entrou pelas portas do Clube dos Mestres Ascensos, ele ficou maravilhado. Ele não sabia sequer se ele era realmente merecedor de ir lá, mas nós lhe dissemos que ele era. Ele ficou maravilhado por estar lá, no lugar magnífico com quase 10.000 Mestres Ascensos reunidos pra lhe dar as boas-vindas, como eles farão quando vocês chegarem lá.

E ele entrou, pôde sentir as energias de todos os Mestres Ascensos, que remontam de centenas de milhares de anos, e de outros mais contemporâneos, que ele conhecia, como a Doutora Cheryl e o FM, e alguns outros que estavam lá ao lado dele. E eles meio que abriram caminho pra que ele pudesse ver essa imensa reunião no Grande Salão de todos os Mestres Ascensos.

E vocês nem sabem, todos vestíamos a camiseta que o deixou famoso. Talvez a gente possa mostrar uma foto na tela. Todos estávamos usando a camiseta dele que parece escrita em russo e que, quando dobrada, diz “Fuck off” (Foda-se). E assim foi sua recepção de boas-vindas no Clube dos Mestres Ascensos. Ele riu sem parar e agora sabia que estava em casa.

Ele nos entreteve nesses últimos anos. Eu literalmente tive que arrastá-lo pra fora do Clube dos Mestres Ascensos pra vir pra cá hoje, pra lembrá-lo de que era o dia do Shoud aqui no planeta, mas ele está num bom lugar. Ele vai ficar por perto.

Ele se divertiu ao se reconectar com aqueles que ele conhecia aqui, na forma humana, alguns Shaumbra que estão agora do outro lado, e estão desenvolvendo no Clube dos Mestres Ascensos uma espécie de nicho Shaumbra, uma panelinha dos que eram realmente Shaumbra. Não existem muitos, ainda bem, mas existem alguns. Então, está se tornando uma espécie de organização de elite dos Mestres Ascensos, daqueles que se autodenominam Shaumbra.

Assim, vamos respirar fundo com isso. Obrigado, querido Sart, e obrigado por compartilhar suas histórias e suas lições aqui e também com Cauldre na revista.

A Situação Atual

Vamos passar aos negócios em questão. Vamos fazer uma pequena revisão, primeiro, deste momento que vocês estão vivendo. É a Era das Máquinas, quando a tecnologia está moldando o mundo. É o tempo do vírus. O vírus é própria coisa que está provocando que a transformação aconteça. Não precisa acontecer através de manifestações, de guerras, de violência, nem mesmo de imensas mudanças na Terra. Está acontecendo de maneira bem sutil, muito bela, em alguns aspectos. Muitos morreram, mas eles estavam verdadeiramente prontos para ir.

O que nós temos é uma convergência ocorrendo nestes últimos meses, trazendo mudanças de maneira mais rápida do que em qualquer outro tempo de que eu esteja ciente. Tivemos o encerramento da Ordem do Arco. Tivemos o chamado para Casa de todos os seres angélicos, exceto os seres humanos, para voltarem para suas famílias angélicas. Tivemos a dispersão das famílias angélicas. Tivemos a restrição da interferência alienígena no planeta para que os humanos não tenham mais todas essas energias externas. E mesmo isso tem tido um profundo efeito num período de tempo muitíssimo curto.

Então, tudo isso está acontecendo no planeta, e a maioria das pessoas ainda não está ciente da enormidade das mudanças que estão ocorrendo, porque grande parte dos ajustes é muito sutil, muito serena. Muitas pessoas foram para casa e para dentro de si, e realmente não estão captando o que está acontecendo no planeta. Vou falar mais sobre isso na Atualização do ProGnost 2020 (ProGnost Update 2020) que faremos mais cedo ou mais tarde, porque eu gostaria de falar, por exemplo, sobre a economia.

Agora, se estiverem observando a economia, verão os mercados desabando. Vocês veem escassez de determinados itens, muito desemprego, mas essa não é a questão. A questão é como o planeta vai emergir desse período do vírus, quando haverá inspiração e desejo suficientes para transformar a base econômica no planeta.

A economia atual, o modo como o trabalho da economia atua no planeta tem cerca de 500 anos, e está todo voltado para o crescimento. Trata-se de crescimento – tornar-se mais próspero, desenvolver mercados, produzir mais, vender mais. Isso vai mudar para melhor – para melhor –, vai deixar de ser uma economia voltada para o crescimento e tornar-se uma economia voltada para a consciência.

Ainda haverá o fator do resultado financeiro, porque as pessoas ainda terão que equilibrar suas contas. Mas descobrirão que a energia vem de formas diferentes das que estavam acostumados a ter, formas bem mais conscientes do que nunca. Nem todas as empresas de imediato, mas algumas e depois cada vez mais iniciarão isso.

E depois alguns países agora, países menores, relativamente equilibrados e prósperos, vão desenvolver alguns modelos para a nova economia consciente das nações do planeta. E outros custarão mais a adotá-los, é claro, mas haverá um impulso suficiente inicial de transformação para uma economia consciente, em vez de uma economia de crescimento.

E a economia de crescimento não era uma coisa boa nem ruim. Tratava do desenvolvimento do planeta, e isso certamente foi feito. Mas agora o planeta está se tornando mais consciente, perceptivo e sensível às necessidades humanas, em vez simplesmente pensar no próprio crescimento.

Mudanças tremendas estão acontecendo enquanto vocês dormem ou enquanto ficam em casa nestes meses, nos ciclos de tecnologia, com novas descobertas que nem foram feitas ainda, e que vão despontar no planeta. Algumas atenderão os humanos muito bem e outras serão questionáveis.

Eu sei que muitos de vocês já estão se perguntando sobre o implante de chips nas pessoas. Não entrem em pânico. Não se liguem em conspiração. Vamos falar sobre todas essas coisas ao darmos continuidade às nossas séries e coisas como Keahak. Então, não se desgastem com isso. De certo modo, vou dizer que vocês estarão imunes a muitas dessas coisas.

Vocês estão vivenciando um planeta em seu maior tempo de mudança, no que talvez eu chamaria de mudança mais serena que já houve. Mas as mudanças são reais e significativas, e estão acontecendo por um motivo. Há uma sincronicidade aí. Mas antes de falar sobre isso, vamos falar de vocês.

Vocês

Vocês adiaram sua Realização até esta Era das Máquinas, até agora. Vocês a adiaram. Ela poderia ter acontecido uma ou duas existências atrás. Vocês a adiaram até agora. Quero dizer, este momento, e olhem a sincronicidade de tudo que está acontecendo no planeta: o planeta se aquietando; este grupo de Shaumbra alcançando a verdadeira Realização neste momento; o período que vocês estão tendo para ficarem consigo mesmos em casa tranquilamente.

A quietude no planeta tem sido muito benéfica para vocês que estão alcançando a própria Realização. Então, é absolutamente o momento perfeito este aqui. É o momento pelo qual vocês estão esperando há muito, muito tempo, e agora a espera chega ao fim. A espera termina.

Eu quero falar um instante, porém, sobre a diferença de preparação para a Realização, quando vocês planejam ir embora, quando planejam partir – mais ou menos, bem, como Sart, que não estava planejando, mas aconteceu – versus se prepararem para ficar. São coisas bem diferentes.

Alcançar a Realização é algo que ocorre, mas o que acontece depois é que é muito diferente. Se estiverem planejando deixar o planeta, como a maioria dos Mestres Ascensos fez, não há que se levar em consideração coisas como o Corpo de Energia Livre, seu corpo de luz. Não há que se levar em consideração coisas como expressão criativa, que irá se tornar cada vez mais importante enquanto vocês ficarem aqui no planeta como Mestres encarnados.

Alguém que meio que planeja partir ou simplesmente ficar aqui talvez um mês ou dois realmente não precisa considerar a importância de sua expressão criativa. Mas será algo imensamente importante e sobre o qual falaremos muito mais em nossas próximas sessões.

Se estiverem planejando apenas o cenário da morte, não considerem coisas como realmente serem verdadeiros consigo mesmos. Falamos sobre isso um pouquinho em nosso episódio da Pausa do Mestre, Eu Sou Verdadeiro (I Am True), sobre serem verdadeiros consigo mesmos. Outra forma de dizer isso é não tolerar mais as porcarias, não tolerar coisas que vocês vêm tolerando há muito tempo. Não fazer concessões aos outros.

Há uma espécie de imagem estereotipada de Mestre Ascenso que tolera tudo e todo mundo, e que não é realmente verdade, de jeito nenhum. O Mestre Ascenso e agora o Mestre que Caminha na Forma Humana simplesmente não é tolerante com quem se alimenta da energia das pessoas, não é tolerante com os desequilíbrios do mundo externo que não devem afetar o Mestre em seu mundo interno.

O Mestre não é tolerante com gente que tenta tirar vantagem dele nem com pessoas que tentam arrancar deles a Realização, e as pessoas farão isso. Elas realmente não conseguem, mas vão tentar.

Assim, agora é a hora de se prepararem para serem basicamente filhos da puta intolerantes. Não quer dizer serem sórdidos, apenas significa aprender a traçar linhas muito claras e bem definidas dos comportamentos que vão aceitar dos outros e dos que não vão.

Vejam, vocês não têm que se preocupar com tolerância em relação à natureza. Ela é o que é. Ela não tenta pegar nada de vocês. Na realidade, a natureza é uma doadora. Geralmente, vocês não têm que se preocupar com o nível de tolerância ou de lidar com porcarias quando se trata de seus animais de estimação. Não, eles são doadores. Eles se doam. Eles amam.

Mas e os humanos? Os humanos, bem, vocês sabem por experiência própria que eles tentarão atrapalhar, distorcer as coisas em relação a vocês. Tentarão controlar vocês. Tentarão tirar vocês de seu centro, e o Mestre é intolerante com isso. Mas vocês não precisam realmente pensar nisso, se estiverem planejando partir. Mas os que agora espera-se que estejam planejando ficar... e especialmente usando Sart como exemplo, bem, a menos que vocês estejam muito firmes com relação a isso, vocês vão escorregar para fora daqui. Iremos falar sobre essas coisas.

Mas há uma coisa em particular que quero falar com vocês hoje. Abordaremos o restante em nossas próximas sessões. E não sou muito tolerante com relação a este assunto, como vocês provavelmente já sabem, quando eu começar a falar sobre isso. Mas é muito importante, é fundamental, já que muitos Shaumbra, nos próximos meses, vão alcançar a Realização. E é toda essa questão de abundância.

Abundância

Eu não tenho qualquer tolerância com a falta, e não tenho qualquer tolerância com reclamações a respeito do que falta a vocês. Não tenho qualquer tolerância em ficarem culpando os outros. Não tenho qualquer tolerância em ficarem apontando dedos para alguém que voltou a um modo natural de abundância quando vocês simplesmente se recusam a isso.

Eu diria que é impossível ser um Mestre realizado que permanece no planeta se ainda carregarem seus problemas de falta de abundância. E é tudo que eles são – problemas. São algo que vocês escolhem carregar por aí. Vocês insistem nisso, muitas vezes. Vocês lutam por isso, muitas vezes.

Vocês menosprezam os outros porque eles não têm falta de abundância. Vocês tentam culpá-los como se fossem agressores ou abusadores. Mas eu quero que vocês deem uma olhada nisso agora mesmo. Eu sei que boa parte de vocês está à beira da Realização, mas têm essa questão com a abundância. Vocês ficam zangados por causa daqueles que têm abundância.

Agora, sim, isso remonta de várias existências, que era quando muitos abastados – os nobres – tiravam vantagem dos outros, tiravam vantagem de vocês. E quando grande parte do histórico religioso de vocês dizia que riqueza é uma coisa negativa. Serei bastante intolerante com vocês e digo que vocês têm que se livrar disso agora mesmo.

É um dos obstáculos, uma das barreiras, para sua chegada à Realização, e há um motivo para isso. Não tem nada a ver com ser rico ou pobre. Nada a ver mesmo. Em parte, aqueles que têm falta de abundância estão escolhendo isso e os que têm abundância também assim estão escolhendo, mas há uma questão fundamental em tudo isso.

A questão fundamental trata de deixar a energia servir vocês. Em outras palavras, não existe falta de abundância se vocês permitirem que sua energia sirva vocês.

Se vocês percebem que a energia é de vocês, para começo de conversa, e de mais ninguém – nem um tantinho, nem uma gotinha de toda a energia é dos outros, somente de vocês mesmos –, então, naturalmente não existe falta de abundância, a menos que alguém escolha acreditar nisso e continuar carregando isso. É a energia de vocês. Como poderia haver falta de abundância?

Bem, daí, vocês se comparam aos outros. Vocês dizem: “Eles têm dinheiro e eu não tenho. Eles o conseguem facilmente e eu não.” Tudo são desculpas para mantê-los afastados de sua Realização. Só isso.

Abundância é algo natural porque é a energia de vocês. Abundância é algo natural porque toda a energia de vocês quer servir vocês. Não tem nada a ver com a quantidade de dinheiro que vocês têm no banco, embora devo dizer que, se estiverem permitindo que a energia sirva vocês, vocês terão tanto que não saberão como gastá-lo.

Não tem nada a ver com “ter” e “não ter”. Isso é coisa do passado – do passado em termos do modo como vocês pensam. E vocês se colocam no grupo, talvez, dos que “não têm” e, então, ficam constantemente batalhando contra os que têm. Não é isso. É apenas: “Eu tenho. Eu Sou o que Sou e Eu tenho.”

Eu vejo algumas conversas entre os Shaumbra e na mídia social sobre abundância. Vejo alguns apontando o dedo e outros xingando e acusando. Esses têm que parar com isso agora ou, por favor, por favor, por favor, por favor, simplesmente, saiam de vez do Círculo Carmesim. Vocês se tornam um peso para o resto. E muitos vão alcançar a Realização nestes próximos meses e, de certa forma, isso se torna um peso pra eles.

Agora, sim, é a própria energia deles e a própria escolha deles para a Realização, mas, por haver uma conexão maravilhosa com os Shaumbra, isso meio que fica sendo arrastado até o final. Dá para vocês irem pra outro lugar, por favor? Se vocês insistirem na falta de abundância, vão para outro grupo e voltem quando tiverem se desenvolvido, quando puderem lidar com a própria energia, deixando-a servi-los de maneira abundante em sua vida.

Estou estabelecendo um limite. Vou ser intolerante. Vou deixar de me aproximar para falar com vocês, se continuarem com esse jogo de falta de abundância. Não existe isso. Não existe. Parem já!

Superem isso para que possamos todos seguir em frente e para que o planeta possa seguir em frente também. Tudo que vocês fazem é alimentar todo esse sistema de crenças no planeta de que há a falta, e não há. Tudo que vocês fazem é contribuir para toda essa dualidade entre “ter” e “não ter”, e não existe isso.

Não há mais lugar no Círculo Carmesim para aqueles que estão se permitindo ficar na falta da própria energia, porque vocês também estão se permitindo ficar na falta da própria criatividade, do próprio amor, da própria sensualidade, da própria sensação de estar vivo, do próprio mérito.

Não se trata apenas de abundância. Vocês usam isso como se fosse o foco, o ponto de discussão. Trata-se de todas essas outras coisas. E não pode haver isso daqui para frente. Não é o que queremos. Então, ou vocês permitem que sua energia sirva vocês de maneira abundante e param de reclamar, ou vão embora para que o restante de nós possa seguir em frente. Obrigado.

A propósito, vocês vão descobrir que é divertido ser um Mestre intolerante. É. Eu sei que muitos de vocês se encolheram no passado, deixando de ser muito claros. Eu me divirto fazendo isso, e Linda está sentada aqui ao lado terrivelmente entretida com toda essa coisa.

Não, é na verdade meio que libertador ser claro assim, sem colocar panos quentes, sem... isso foi Cauldre que falou, não eu... sem fazer concessões. Então, muitas vezes, vocês fazem concessões, e alguns gostariam que eu talvez dissesse: “Oh, vamos todos ser abundantes juntos, vamos compartilhar a riqueza do mundo.” E: “Sei que você teve uma infância difícil, e sentimos muito por isso.” Bobagem! Ou melhor, Sart, “Que merda!”, disse Sart. “Merda!”

Vejam, Sart era abundante, por sinal. Sart era muito abundante. Talvez ele não aparentasse nem dirigisse... bem, ele realmente dirigiu muitos veículos sofisticados. Você não tinha só um velho Peugeot ou algo assim. Sart era abundante. Talvez não usasse roupas chiques, mas nenhum de vocês realmente usa.

Mas ele está dizendo que isso é merda. Então, vamos acabar com isso. Talvez, para mim, essa seja a coisa mais irritante com relação aos Shaumbra ou aqueles que se dizem Shaumbra. Vocês não podem mais usar essa palavra para definirem a si mesmos caso não sejam abundantes. Sinto muito.

Abundância é uma atitude. Abundância é uma aceitação e um permitir. Então, superem isso. E usem isso também como exemplo para si mesmos na vida, sem ficarem mais fazendo concessões, sendo claros.

O Mestre pode ficar sentado e fazer isso, e as pessoas, em vez de se sentirem ofendidas, ficam absolutamente intrigadas e surpresas com as palavras, pela clareza, porque vocês estarão compartilhando sua energia e, na verdade, estarão compartilhando sua compaixão, quando são claros assim com as pessoas. Vocês não estarão massacrando-as no lado pessoal, mas estarão sendo bem claros. Isso realmente vai despedaçá-las e despedaçar muito makyo que elas têm.

Assim, Shaumbra, vamos acabar com isso. Vamos entrar na abundância, na sua abundância. Ela está aí esperando por vocês. O mecanismo está girando. Está só esperando que vocês se permitam usá-lo. É claro assim. Claro assim.

Assim, vamos respirar fundo, enquanto meio que fazemos uma mudança aqui.

Um Lembrete

Vamos falar, nos próximos poucos meses, sobre algumas coisas que precisam ficar muito claras se vocês estão planejando ficar. E, novamente, Sart quer acrescentar algumas palavras, e nem vou tentar fazer o Cauldre imitar a voz dele nem canalizá-lo diretamente, porque... não, não. O Sart é o Sart. Ninguém consegue imitá-lo. [Adamus ri.]

Mas, basicamente, Sart está dizendo para escolherem agora mesmo, enquanto humanos, humanos sábios, se vocês vão ficar ou partir em sua Realização. E ele disse que, se escolherem ficar, mesmo que sintam que estão escorregando para fora, sendo realmente levados pela natureza sensual da chegada à Realização, saindo para as outras esferas, em outras palavras, morrendo, ele estará lá, meio que servindo de muro, dizendo: “Que merda! Volta! Volte para a Terra.” Como Sart diria.

Então, um de seus primeiros encontros, se vocês sentirem que estão escorregando para o outro lado, um de seus primeiros encontros pode ser com o Sart dando aquele olhar e usando uma camiseta: “Volte!” [Adamus ri.]

Certo, vamos respirar fundo. Temos algumas coisas importantes para fazer agora.

O Verão (Inverno) da Paixão

Os próximos três meses serão o Verão (Inverno) da Paixão e o Verão (Inverno) da Realização para os Shaumbra de todo o mundo. Vai acontecer. Não é uma corrida. Heh. Sart tentou correr... ou melhor, ele não tentou correr; ele sentiu como se fosse jogado na coisa. Ele está dizendo: “Não, não. Sejam pacientes. Simplesmente, sejam pacientes.”

Muitos Shaumbra vão se realizar, permitir a Realização nestes próximos meses. Alguns vão esperar um pouquinho. Não há pressa, porque vai acontecer. Não fiquem ansiosos. Quer aconteça agora, quer aconteça um pouco depois, não fiquem ansiosos com isso. Vai acontecer.

É por isso que vocês estão aqui. É por isso que eu tive que afastar aqueles mal de abundância, porque eu quero falar com vocês agora. Vocês estão aqui e a Realização vai acontecer. Não provavelmente da forma que vocês achavam que aconteceria, mas vai acontecer.

A Realização acontece muito suavemente, de certa forma. Quero dizer, vocês não têm que se esforçar mais. Venho dizendo isso há tempos. Não se esforcem. A Realização simplesmente acontece. É como a respiração do Eu Sou, com toda a sua delicadeza, com toda a sua compaixão. Não é como um raio. Não atinge vocês na cara. Vocês estão lá e é só isso, realmente: a respiração do Eu Sou.

Lembrem-se, alguns anos atrás, tivemos uma conversa sobre algo que Cauldre e Linda recordavam da infância – cow tipping (derrubar vacas com o dedo – Ver Série do Kharisma, Shoud 11, Derrubando Deus). Vejam, cow tipping é... bem, é uma lenda urbana, mas há um pouco de verdade aí. A vaca fica lá de pé. Vejam, vacas são animais grandes. E ficam lá meio que tirando um cochilo, porque, na verdade, quando uma vaca dorme mesmo, ela deita no chão.

Mas a vaca fica meio dormindo, assim como muitos humanos costumam ficar, e ficam lá paradonas, com os olhos provavelmente fechados, provavelmente ruminando um pouco, mas parecendo que estão dormindo. E a pessoa chega e toca nela gentilmente com o dedo, gentilmente empurrando, sem exercer força alguma, gentilmente, e a vaca tomba. Isso é cow tipping.

Eu queria suscitar essa imagem porque é mais ou menos assim, agora com a chegada à Realização. Não que vocês sejam vacas, mas o fato de que tudo que é necessário é esse toquezinho gentil – a respiração do Eu Sou – para vocês, de repente, chegarem lá. Não é necessário nenhum bastão de beisebol. Nenhuma força é necessária. Nada de extremos é necessário neste momento. Nada de extremos. Apenas essa gentil respiração do Espírito.

Assim, vamos fazer isso agora. Vamos colocar uma música e vamos fazer um merabh, fazer a respiração do Eu Sou. E lembrem-se de que não há nada a fazer. Não há nada a forçar. É essa respiração gentil que vai prepará-los agora para alcançarem a Realização.

Vamos respirar bem fundo e começar.

A Respiração do Eu Sou – Merabh

[A música começa.]

Não vou falar muita coisa aqui durante esta sessão. Não há muita coisa que precise ser dita. Não é uma meditação guiada. É simplesmente “Eu Sou a Respiração”, a respiração do Eu Sou, e só peço que sintam isso. É isso que “derruba a vaca”, por assim dizer.

Respirem bem fundo.

[Pausa]

Vocês estão nesta jornada há muito tempo. Vocês têm histórias incríveis.

Vocês derramaram muitas lágrimas, tiveram muitas dores de cabeça ao longo caminho e, agora, tudo isso meio que termina.

Agora, é apenas uma questão de Permitir, como Sart fez.

Agora, é apenas uma questão da respiração do Eu Sou, sentindo isso.

Sem luta, sem esforço. Simplesmente, permitindo, neste momento.

[Pausa]

É a mais pura força interior, que não vem de fora. É o mais puro sentimento interior.

[Pausa]

“Eu Sou a respiração.”

[Pausa]

Não há outra coisa que o humano possa fazer para afetar e proporcionar sua Realização, neste momento, além de Permitir. Nada.

[Pausa]

A respiração do Eu Sou vem de dentro, e flui para todas as partes do Mestre e do humano.

[Pausa mais longa]

Muitos de vocês alcançarão a Realização nestes próximos meses.

Se não acontecer logo, não fiquem ansiosos porque acontecerá. Não é uma corrida.

Se não acontecer, não tentem consertar nem reparar nada. Simplesmente, voltem e escutem isto novamente. Escutem a respiração do Eu Sou, vindo das partes mais profundas de vocês, reunindo vocês com seu Eu.

[Pausa]

Não existe futuro. Não existe “e depois?”. Está tudo no Agora.

[Pausa mais longa]

É essa respiração gentil – sentindo e permitindo –, a respiração do Eu Sou, que leva vocês agora até sua Realização.

[Pausa]

É o dragão que agora pode abrir aquela porta, aquele limiar para a Realização, pois tudo foi perdoado. Não há mais culpa nem vergonha.

Vocês se permitiram receber o perdão do Eu Sou. Com isso, o dragão pode abrir a porta.

[Pausa]

Não tem essa coisa de ficarem imersos na doença da falta de abundância. Vocês estão permitindo que toda energia seja de vocês e ela está aqui para servir vocês. Portanto, o dragão pode abrir a porta, agora que a doença acabou.

[Pausa]

Respirem fundo e liberem qualquer estresse, qualquer ansiedade, qualquer coisa que possa estar segurando vocês. Simplesmente, liberem.

[Pausa]

Neste momento, simplesmente sintam essa respiração do Eu Sou, alcançando cada parte de sua condição humana.

[Pausa longa]

Vocês estão prontos para a sua Realização. Sart não achava que estivesse pronto, mas estava. Vocês estão prontos para ela.

Não exige muita força agora. Não exige muito esforço nem trabalho, nem nada disso. Agora trata-se simplesmente de sentir essa respiração do Eu Sou.

[Pausa]

A respiração do Eu Sou é a sua respiração também. São a mesma coisa.

São a mesma coisa.

A respiração do Eu Sou com sua gentileza e sua clareza.

[Pausa longa]

A respiração do Eu Sou com sua compaixão, seu perdão eterno.

[Pausa]

Esta respiração do Eu Sou está cheia de abundância.

A respiração do Eu Sou é energia. É a canção da alma, eternamente abundante.

[Pausa]

A respiração do Eu Sou é criatividade, pois o Eu Sou é o criador e é dele que vem a criatividade.

Criatividade é a capacidade de entrar na criação de alguém e continuá-la da forma mais sensual possível para vivenciá-la com total sensualidade. Isso é criatividade, e ela vem da respiração do Eu Sou.

[Pausa]

Criatividade é estar na própria criação de alguém, reivindicando-a como sua, vivenciando-a como sua.

[Pausa mais longa]

Agora, a respiração do Eu Sou vem para a sua vida, e ela se torna a sua respiração também.

[Pausa]

Nessa hora, não há nada a fazer, nada pelo qual se esforçar, além de Permitir.

[Pausa muito longa]

A respiração do Eu Sou, ela é verdadeira. É verdadeira.

Enquanto vocês percorriam pelas muitas experiências e encontravam muitas coisas na vida, tanto dentro quanto fora de vocês, isso não era algo verdadeiro ou talvez estivesse disfarçado de verdadeiro, mas nunca foi realmente. Esta respiração do Eu Sou é verdadeira.

[Pausa longa]

Agora não há nada a ser forçado. Não há nada pelo qual ficarem ansiosos. Não há nada a ser forçado.

Nestes próximos três meses, muitos e muitos Shaumbra alcançarão a Realização...

[Pausa]

... e, então, muitos mais depois deles. Muitos mais depois deles.

[Pausa]

E, com isso, depois disso, virá toda uma onda de novas pessoas, atraídas para esta coisa chamada Shaumbra, para o Círculo Carmesim, pelo trabalho que vocês têm feito. Mas, neste momento, vamos simplesmente voltar para a respiração do Eu Sou.

É mais ou menos como derrubar uma vaca com o dedo, cow tipping. Vejam bem, só aquela leve cutucadinha, só isso, do Eu Sou.

Então, daqui a pouco, vou pegar o Sart, vamos sair daqui e voltar para o Clube dos Mestres Ascensos para ver as brincadeiras que eles prepararam para ele.

A música que tocamos agora durante este merabh ficará disponível pra vocês separadamente, apenas com algumas palavras no início e só. Vocês poderão escutá-la a qualquer hora e simplesmente recordar que é a respiração do Espírito.

Nada mais neste momento. A respiração do Eu Sou.

Nestes próximos três meses, muitos alcançarão a Realização e, se tentarem, se apenas tentarem cruzar para o outro lado, vão ter que lidar com o Sart.

Fiquem no planeta. Vocês são necessários neste momento, bem aqui.

Com isso, meus queridos amigos, vamos passar um tempo realmente interessante juntos. O Verão (ou o Inverno) da Paixão, estou aguardando por ele.

Com isso, Eu Sou Adamus of Sovereign Domain.

E lembrem-se de que tudo está bem em toda a criação. 

Obrigado.

LINDA: Então, com isso, por favor, permaneçam com essa respiração, a respiração do Eu Sou, a respiração do Espírito. Respirem tudo que vocês são. Não é hora de muitas palavras. Simplesmente, sigam com estas sensações compartilhadas conosco. Obrigada por fazerem parte do Shoud, Paixão 2020. Retornaremos no dia 4 de julho, Dia da Independência (nos EUA). Obrigada.

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação - DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
Instagram - @blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar e Frequência de Cura Arco Iris - lecocqmuller@gmail.com
http://www.novasenergias.net/circulocarmesim/textos/passion10.html
Tradução de Inês Fernandes – mariainesfernandes@globo.com

LUZ!
STELA




Print Friendly and PDF

6 comentários:

  1. Estas mensagens tem magia. Gratidão Stella por permitir estes momentos. Namastê.

    ResponderExcluir
  2. This is one of my favorite websites to go to. I can always tell where I am by the hypnotic jesus gif at the start!

    https://aab-edu.net/

    ResponderExcluir
  3. estar aqui e continuar aqui, quem diria, gratidão Stella, grato por ler esse material que você disponibiliza com tanto carinho ;)

    ResponderExcluir
  4. Que magia viagei maravilhosamente

    ResponderExcluir