terça-feira, 16 de junho de 2020

VOCÊ PRECISA MESMO DAR CONTA DE TUDO?


VOCÊ PRECISA MESMO DAR CONTA DE TUDO?
Por Bruna Pinheiro

A gente quer fazer a vida valer.
A gente quer sentir prazer.
A gente precisa ter calma.
A gente quer cuidar do corpo, da mente e da alma.

A gente precisa beber 2 litros de água todo dia.
Dormir 8 horas pra ter energia.
E ainda tem a casa pra limpar.

A gente quer descansar. E sente culpa porque tem que trabalhar.
A vida é um quebra cabeça que a gente se cobra montar.

A gente quer passar mais tempo com quem a gente ama.
A gente quer ficar sem fazer nada na cama.
A gente quer fazer meditação e encontrar a nossa missão.
A nossa melhor versão.
E além de tudo sentir gratidão.

Mas as vezes, a gente se desequilibra e entra em confusão.

A gente quer comer bem e ainda levar o cachorro pra passear.
A gente quer ter dinheiro porque tem muita conta pra pagar.
A gente quer se sentir bem e ter tempo pra cozinhar.

Pra viver a vida a gente é malabarista.
E no fundo todo mundo é artista

A gente quer ter tempo pra fazer uma oração
E ainda quer aprender tocar violão.
E além de tudo ser positivo em qualquer situação.
A gente quer sentir motivação.

A gente tem que fazer a compra do mês, e ainda de vez em quando rever tudo o que a gente fez.

A gente não quer sentir dor.
Mas, a gente quer viver um grande amor.

A gente precisa arrumar o ventilador, e as vezes até chamar o encanador.
A gente precisa levar o carro no mecânico.
E, às vezes, parar tudo pra lidar com a síndrome do pânico.

A gente precisa ser boa filha, mãe, amiga e cuidar de nós.
A gente se dedica às pessoas porque tem medo de ficar só.
A gente precisa se casar, ter filhos e comprar uma casa boa.
A gente precisa ser um bom profissional.
 A gente precisa de pessoas nos bajulando pra nos sentirmos especial.

A gente precisa tomar banho todos os dias, escovar os dentes, fazer e tomar café, fazer o almoço e almoçar, fazer o jantar.

A gente precisa ter sono assim que se deitar.
Porque senão no dia seguinte a gente não vai funcionar.
E ainda tem a insônia que a gente precisa aprender a lidar.
A gente precisa arrumar a cama ao acordar.

A gente precisa ir na farmácia.
A gente precisa ligar pra nossa família.
A gente tem os aniversários do mês para ir.
Tem os presentes para comprar.

Tem o Natal para pensar com quem passar.
Tem as ferias para planejar.

A gente precisa ver a série do momento pra não ficar por fora.
E pra não pirar, a gente precisa tá fazendo alguma coisa toda hora.

A gente precisar conhecer Paris e ir na torre Eiffel, a gente precisa conhecer Orlando e conhecer os parques da Disney, Amsterdã e comer a torta de maça. A gente precisa conhecer Veneza e andar de gôndola.

Mas, porque temos que fazer tudo o que todo mundo faz?
A gente precisa postar fotos bonitas das redes sociais.
A gente precisa estar inspirado pra postar frases legais.

E a lista parece não acabar mais.
A conta parece não fechar.

É coisa demais pra pensar.
Aonde vamos arrumar tempo pra tudo isso?

E no fundo a gente faz tudo isso apenas para pertencer.
Para ser amado e sobreviver.
Todo mundo tem vontade de pertencer.
Tá todo mundo tentando fazer a sua parte pra sobreviver.
Por isso eu acho que se a gente é gentil por aí fica mais fácil de conviver.

A grande verdade é que muitas vezes tudo o que você precisa fazer é se sentar no seu sofá com um balde de pipoca, um copão de refrigerante e um filme bobinho tipo sessão da tarde, pra não ter que pensar por algumas horas. Sentir o gosto, a sensação sabe? Se permitir sentir apenas.

Tá tudo tão acelerado que talvez a gente nem se lembre como é sentir. Como é fazer algo e não precisar postar. Sim. Ter uma tarde gostosa com os amigos e não postar foto nenhuma e nem se lembrar de tirar fotos. Um almoço com o namorado e nem se lembrar de postar o prato bonito e marcar o restaurante.

A gente tá vivendo pra fazer propaganda e tá esquecendo do essencial. Os sabores se perderam. Você se lembra a ultima vez que se divertiu dentro de casa, com quem você mora? Da ultima vez que bebeu um vinho sem precisar postar nas redes sociais?

O mais importante é você se lembrar de que você não precisa se encolher pra encaixar ou se esticar pra caber.

Até hoje vivemos assim né? Mas, meu Deus quanta pressão. Não dá pra dar conta de tudo isso. A conta não fecha mesmo. Por isso vou te revelar a formula mágica para uma vida fácil. Fica aqui comigo até o final. Eu prometo não esquecer de te dizer qual é essa fórmula.

Nunca te disseram que existe uma forma fácil de se viver a vida aqui no planetinha azul, né? Poucos sabem, mas essa fórmula existe sim. Antes de te revelar qual é essa fórmula extraordinária, vamos conversar um pouco sobre a realidade em que a maioria de nós ainda vive…

Com o avanço da tecnologia, as informações estão chegando para nós numa velocidade avançada, e isso tem nos causado um desconforto interno muito grande. São milhares de informações todos os dias, e nem sempre conseguimos acompanhar e dar conta de tudo.

O Universo da tecnologia só avança a cada dia e, quanto mais o tempo passa, mais desorientados nos sentimos. Tudo tem se tornado descartável, rápido demais. As informações passam por nós e, antes que consigamos absorver, elas já estão ultrapassadas. Mas, não é o avanço da tecnologia que tem nos feito sentir tão frustrados e sim o que nós fazemos com o que é nos apresentado.

Todos nós estamos enfrentando batalhas todos os dias e ao nos depararmos com recortes de vida dos influenciadores digitais, nos comparamos e nos sentimos piores, incapazes. O estilo de vida que eles nos mostram, nos parece impossível de ser conquistado, e isso só nos trás mais sofrimento, é claro.

Não podemos mais continuar a alimentar o que nos faz mal, mas a maioria de nós ainda faz isso consigo mesmo. Ficamos horas diante de uma rede social que só nos afasta de nós mesmos. E depois de passarmos o nosso precioso tempo investindo em observar a vida alheia, voltamos para as nossas vidas com desejos do ego, da vaidade. Voltamos nos sentindo menores e desejamos ilusoriamente coisas que não nos trazem e nunca trarão felicidade genuína.

Como viver uma vida mágica e feliz se todos os dias precisamos lidar com insegurança, ciúmes, inveja, possessividade, competitividade e medos que a gente tem medo até de acessar quando estamos sozinhos? Imagine então revelá-los para o mundo?

Como co-criar uma vida de sucesso se temos tantas incertezas e se tudo o que ouvimos é que para se ter uma vida de sucesso é preciso ter clareza de quem se é, e do que se quer? Como ser um bom exemplo para os nossos filhos, se temos tanta dificuldade em enxergar como somos por inteiro?

Como manter a nossa individualidade se a nossa maior dificuldade é em ficar a sós com nós mesmos? Como conseguir ser honesto e verdadeiro dentro de um relacionamento, se não conseguimos nem sermos honestos e verdadeiros com nós mesmos? Se não compartilhamos com as pessoas, o que somos verdadeiramente, como podemos esperar o contrário delas?

Como posso culpar o outro de não ser honesto, se eu mesmo não sou honesto comigo mesmo? Até quando vamos investir em nos produzirmos diante dos eventos sociais? Até quando continuaremos a praticar nos mostrarmos estáveis, seguros e fortes, se muitas vezes tudo o que estamos sentindo é tristeza e peso de estarmos carregando uma máscara pesada que não se aplica ao que realmente somos?

Vivemos numa sociedade que preza alguns valores como ser bem sucedido, e que não admite falhas e imperfeições. Mas, essa crença do ser bem sucedido que alimentamos durante tanto tempo de nossas vidas, não estaria nos fazendo mal? Porque então continuar alimentando essa forma de pensar diante da vida?

É sério que você quer continuar se sentindo como se sente hoje? É serio que você vai continuar a se matar de trabalhar para conquistar o carro do ano, uma casa para mostrar para os outros, para comprar roupas de marcas e continuar a alimentar esse sistema capitalista?

A nossa sociedade prega que a solução de nossos problemas vêm de fora. Para você se sentir seguro, precisa ter o celular do ano, o carro, um relacionamento perfeito, filhos muito bem educados e que não façam escândalo por aí, viajar o mundo, fotos maravilhosas postadas nas redes sociais, etc.

Como se isso fosse preencher o vazio. Vazio de identidade. Vazio existencial. E quanto maior a quantidade de filtro nas fotos, maior o vazio existencial é. Ah Bruna, e você não usa filtro? É claro que eu uso, e é mais claro ainda que tenho os meus vazios existenciais.

Mas a gente precisa dar conta desse vazio. É um vazio que só a gente vai preencher. Mas, não mais preencher com coisas e pessoas, pois isso nunca deu certo. Só nos machucamos mais. Chegou a hora de preenchermos esse vazio com o silêncio e a aceitação de tudo o que é, e o mais importante: a aceitação de quem você é.

Eu sei que ainda vivemos em uma sociedade capitalista. Movida a desejos que vem principalmente associados a conquistas materiais, relacionadas a dinheiro ou a poder. Em uma sociedade que nos ensina a querer sempre mais, a sermos sempre melhores. A não sossegarmos nunca.

Tem quem se movimente no sentido contrário, em busca da paz através do auto conhecimento. Mas, no geral, esta porcentagem ainda é baixa. E mesmo dentro da busca da paz pelo auto conhecimento, muitos já se perderam.

Em nosso inconsciente, esses desejos (por bens materiais, pessoas, dinheiro ou poder) são na verdade, a necessidade de escondermos ou sufocarmos nosso eu mais instintivo, mais puro. Nossa real essência. É uma forma de estarmos sempre ocupados ou distraídos, sem tempo ou disposição para acessarmos nossos sentimentos. Estamos sempre tentando cobrir o tempo vazio com alguma atividade, por qualquer que ela seja. Mesmo que ela não nos faça feliz.

Estamos sempre buscando tirar o foco de nós mesmos, e transferi-lo para alguém, ou algo. Se estamos sozinhos num domingo a tarde, vamos procurar amigos para encontrar em um bar. Se estamos caminhando sozinhos, ou aguardando em um ponto de ônibus, logo pegaremos nosso celular para afastar este vazio. Buscar no outro, o que queremos esconder de nós mesmos.

O auto conhecimento, e a busca por nossa felicidade mais instintiva, nos faz fazer as pazes com o tédio e nos coloca no caminho do amor, não do medo. Nos permite descobrir o que realmente nos motiva, independente do tempo e espaço. Nos torna completos e satisfeitos, sem fugas ou desequilíbrios. Nos permite sermos nós mesmos, sem depositarmos no outro essa energia.

Será que já não vivemos tempo suficiente para sermos aceitos, para percebermos finalmente que não nos sentimos bem assim? Será que já não deu para perceber que tudo isso não nos trás felicidade plena? Será que não chegou a hora de pararmos de rotular as nossas imperfeições, como características negativas?

Quando os sentimentos que você julga como negativos, vierem te visitar, o primeiro passo é respirar fundo por 5 minutinhos. Se estiver num social e sentir todos esses desconfortos, saia do ambiente em que está. Vá para o banheiro, apenas para ter esse tempo com você mesmo para apenas respirar.

Nos sentimos ameaçados, quando nos deparamos com a nossa sombra, com as características nossas que não queremos encarar. Tudo o que precisamos fazer é respirar e ficar em silêncio. Você vai evitar a traição pessoal de dizer coisas que não pensa. Vai evitar de se colocar no papel de vítima. E, se enxergar como vitima é a mais pura expressão de ingratidão.

Quando você age assim, tira a sua responsabilidade de sua própria vida, pois a vítima não tem opção. Ela só reage. Ela não age. No papel de vítima, nos perdemos de nós mesmos. Acolha agora mesmo essa pequena vítima que mora dentro de você. Existe aí uma pessoa que se sente insegura dentro de si, com medos e ansiedades. Essa pessoa precisa dos seus cuidados e não dos cuidados do outro.

Nada do que o outro faça, vai resolver essa situação que existe dentro de você. Essa criança ferida precisa ser cuidada por você. Só por você. Não existem vítimas. Existem pessoas vivendo as suas vidas como melhor escolhem viver. Respira, se afasta, se recolhe. Se você acha que seu olhar pode te trair, se recolhe.

Nós ainda temos insegurança de nos mostrarmos como somos, porque temos medo de como o outro vai lidar. Se admitirmos que sentimos ciúmes ou medo, como a outra pessoa vai lidar? Será que vou deixar de ser amado e valorizado? Vivemos uma vida acreditando que as pessoas vão deixar de nos amar se expusermos como nos sentimos. E exatamente por isso, escolhemos durante tanto tempo, esconder quem realmente somos.

Mas, qual o sentido de esconder quem você é, para o outro gostar de você? Quem é esse você que a outra pessoa vai gostar? Não faz sentido ser aceito por alguém que você não é. Chegou a hora de confiarmos nos relacionamentos que vivemos, e que os laços verdadeiros são fortes e os que precisam sair de nossas vidas, são laços frágeis.

Só vamos descobrir quem e o que vale a pena, se formos honestos sobre quem somos e o que sentimos. Quando admitimos a nossa fragilidade para outra pessoa, damos a chance das outras pessoas admitirem as suas fragilidades também. Se você tem clareza de como se sente, e de como o outro se sente, se dá a chance de agir com mais verdade e integridade.

Temos que buscar um elo de identificação através de algo positivo e não de algo negativo. Por ex: sentimos ciúmes e automaticamente queremos fazer o outro também sentir, mas dessa forma nos causamos mais sofrimentos, e em nossos relacionamentos também. Quando nos sentimos ameaçados, escolhemos atacar ao invés de sermos sinceros em dizer simplesmente como estamos nos sentindo.

Abra a boca, fale, mostre quem você é mesmo. Seja você mesmo nas suas fragilidades. Inteligência emocional é exatamente isso. Assumir também as fragilidades. Isso sim é coragem. Se você esconde muito conteúdo seu, a tendência é que você fale demais quando começar a falar. A tendencia é que você vá de um extremo para o outro.

Respire, fale e aceite. Aproveite as oportunidades da vida, para expor devagarzinho quem você é. Aceite o não amor da outra pessoa, a distância, a não compreensão, as manifestações de carinho, e que nem sempre você terá aquilo que quer. Aceitando quem você é, fica mais fácil aceitar quem o outro é. E dessa forma você sai do ego. Você não precisa do reconhecimento do outro. Aceite também que você não é, porque dessa forma você também aceitara muito mais fácil que o outro também não é quem você gostaria que ele fosse.

A fórmula mágica para uma vida fácil é a mais simples do mundo. Você apenas aceita e encontra as belezas de ser quem é, e finalmente se abre para uma vida extraordinária. Quanto mais você se ama, menos precisa que o outro te ame. Quanto mais inteiro você é, menos precisa ouvir o quanto é bom. Quanto mais você cuida de você mesmo, menos precisa que o outro ocupe esse espaço vazio.

Percebe o que acontece quando você entende quem é, e vive bem com isso? Um portal de luz de abre, e milagres acontecem. Sonhos que você nem imaginava que sonhava, se realizam e uma vida dentro do fluxo acontece para você. Você aceita o que acontece para você e o que acontece para o outro. Você para de competir e exatamente por isso a vida se torna fácil. Você sentirá por você mesmo, um amor verdadeiro.

Ciúmes está ligado a vaidade, e não ao amor verdadeiro. O que você sente por você mesmo? Você acha que pode ser amado? Você se ama? Permita que o outro te ame como você é. Você já é alguém e não precisa se transformar em alguém para ser amado.

Desperte o amor próprio e a auto aceitação, porque só assim o amor do outro será apenas a cereja do bolo e não a massa inteira. Não viva para encontrar a metade de sua laranja. Seja uma laranja inteira e tenha ao seu lado, uma laranja inteira também, para juntos compartilharem uma vida verdadeiramente feliz.

Fomos ensinados e influenciados até hoje que éramos metades em busca de nossas metades e exatamente por isso não fomos capazes de nos sentirmos verdadeiramente felizes com nos mesmos, mas to aqui pra te dizer que você pode sim se tornar uma laranja inteira. Porque é possível.

É só mudarmos aos poucos a nossa forma de pensar, as nossas crenças sobre nós e à vida, que todo o nosso mundo mudará com a gente. Tudo o que você precisa é de silêncio para ouvir o que a sua alma tem para lhe dizer. A sua vida se tornará muito mais fácil depois que você se tornar uma laranja inteira.

Só conseguiremos acessar o que habita no fundo de nossa alma, se silenciarmos. Precisamos nos ouvir. Precisamos ouvir a voz que cala diante das dificuldades, a voz que cala quando na verdade quer expor toda a verdade. Precisamos ouvir a voz que habita dentro de nós, para então expor.

Assim como as flores desabrocham, o ciclo natural é que nós também podemos expor o nosso interior, livremente. Somos livres para expor os desejos sinceros de nosso coração. Você é livre para confiar na sua sabedoria interior. Nós só estamos aqui no planetinha azul para desenvolvermos e acolhermos a aceitação.

Sabe porque a vida não foi fácil até agora? Porque acreditamos que ela realmente não era fácil. Por que pioramos tudo se já sabemos o quão difícil é saber lidar com os relacionamentos humanos e ao mesmo tempo estar em paz com o que realmente somos? Se sabemos a importância de sermos gratos, porque esquecemos de praticar? Se sabemos todos os benefícios da meditação, porque não fazemos todos os dias?

Se sabemos o quanto a procrastinação nos faz sentir menores, porque insistimos em deixar para amanhã o que podemos fazer agora? Por que não resolvermos agora ao invés de sofrer dias e dias? Se sabemos o quanto dói quando alguém nos julga, porque ainda assim continuamos julgando o outro? Se sabemos o quanto a vulnerabilidade nos aproxima das pessoas, porque escolhemos esconder quem somos de verdade?

Se sabemos que o caminho para a verdadeira abundância é a gratidão, porque insistimos em trabalhar incessantemente no que não gostamos, ao invés de aprender boas práticas e nos desenvolvermos para obter mais e mais abundâncias? Por que falamos coisas da boca para fora, se sabemos que não são reais? Por que não escolhemos ficarmos quietos quando percebermos que o clima está esquentando? Por que sentimos ciúmes se sabemos que no fundo não existe competição?

Por que não conseguimos relaxar, se sabemos o quanto uma mente tranquila se torna mais produtiva? Por que nos comparamos se sabemos que não existe vida fake? Por que nos comparamos se sabemos que todos que estão aqui estão vivendo suas missões particulares de vida? Por que sentimos preguiça quando na verdade tudo o que queremos é produzir mais, para nos sentirmos bons?

Por que insistimos em nos matar para agradar o outro, quando na verdade sabemos que o gostar do outro é de graça e vem de algum mistério que não sabemos explicar, e não de alguma ação que insistimos em realizar? Por que até hoje vivemos condicionados a conseguir coisas para nos sentirmos bons?

Quem é que disse que você precisa ser magro para ser amado, que você precisa ser Buda para ser feliz? Quem é que disse, que você precisa ser aceito por alguém? Você só precisa ser aceito por você mesmo. Não existe condição para que você seja feliz e amado. Somos nós quem colocamos esses obstáculos entre nós e a nossa verdadeira felicidade.

A vida até hoje foi muito difícil porque colocamos barreiras e muros altos entre nós e a perfeição, mas nós somos a perfeição. Quando você sentir genuinamente, dentro de sua alma, que você é perfeição, terá descoberto finalmente a fórmula mágica para uma vida fácil.

Você não precisa ser alguém para ser amado. Você já é alguém, e já pode começar a se amar agora. A vida pode ser mais fácil se quisermos que seja assim. É nas coisas mais simples, que a vida se faz fácil. E, o caminho mais fácil é sempre o caminho da simplicidade. O caminho verdadeiro, do menor esforço, da naturalidade.

Confiar na simplicidade. Flutuar na superfície da água, ao invés de nadar contra a correnteza. Silenciar os nossos pensamentos, e deixar as coisas acontecerem como elas são. Desenvolver a paciência, consistência e a resiliência. Aprender a confiar no que é.

A natureza do ser humano é se desenvolver, expandir, desenvolver a consciência, de dentro para fora. E isso não acontece quando somos resistentes e questionamos o que sentimos. Você só precisa dizer sim para o caminho, e continuar caminhando confiante. É assim que as coisas acontecem. Quando as deixamos livres. O caminho natural da nossa vida é a expansão.

Precisamos apenas aceitar que a vida pode ser fácil, ao invés de continuarmos a luta constante e cansativa de tentar alcançar a felicidade plena. Até porque, ela já existe dentro de nós. A sabedoria interna é maior do que qualquer sabedoria que encontramos por aí nos livros. Os livros revelam apenas uma parte da sabedoria que existe dentro de um determinado escritor.

Mas, dentro de nós mora uma sabedoria transcendental. Para acessá- la, precisamos ficar a sós com o silêncio. Quando ficamos em silêncio acessamos então a sabedoria ancestral. A sabedoria que se encontra em nosso DNA, que só nos é passada através de nossos instintos e intuições.

Sabemos o quanto temos milhares de preocupações em nosso dia a dia, e em nossa vida. Nós temos os nossos sonhos, objetivos e metas, confusões internas para resolvermos, relacionamentos para cuidar, filhos para criar, palpites para lidar. Temos o nosso propósito para descobrir, precisamos ler bons livros, trabalhar para ter dinheiro e viajar.

Precisamos encontrar a nossa fé, manter bons hábitos, aprender a paciência, ter respeito com o próximo, mostrar interesse pela vida do outro quando na verdade tudo o que mais queremos é estar bem com nós mesmos. Nós temos uma vida social para manter, nossas frustrações para lidar, a nossa preguiça para encorajar, e ainda precisamos ser positivos. Temos contas a pagar, pendências a serem resolvidas, todos os dias, e ainda temos que ser fortes para aguentarmos os julgamentos externos.

Espera. Você precisa mesmo ser forte?

Quem é que disse que você precisa resolver tudo? Isso não seria auto sabotagem? Por que nos colocamos essa auto responsabilidade? O mundo é de todos nós. Você não precisa carregar o peso do mundo sozinho. Você só precisa cuidar de você, porque dessa forma estará dando a oportunidade de outras pessoas cuidarem de si, e assim, automaticamente, aos poucos, ou quem sabe, rapidamente, o mundo vai melhorando.

Só precisamos fazer a nossa parte. E, é simples. É na aceitação que precisamos focar. Aceitar e acolher qualquer sentimento que vier nos visitar. Nós não somos o que sentimos. Então fique a vontade para sentir o que estiver sentindo. Somos o que fazemos com o que sentimos. Mas não só isso. Nós somos muito mais. Somos uma sabedoria milenar, ancestral.

Existem muitas cobranças internas de tantas coisas a serem feitas, e se fizermos uma coisa por dia apenas, a evolução acontece, e tudo se resolve. Você não tem que salvar o mundo, e nem viver uma vida fazendo todos os dias as mesmas coisas, só porque você acha que precisam ser feitas. Se você focar em você mesmo, estará fazendo a sua parte para a construção de um mundo melhor. Então fique mais tranquilo.

Com cada um cuidando de si todos os dias, aprenderemos a nos relacionar bem, finalmente. Chega de terminar relações e culpar o outro pelo fim. Se o erro é só do outro, o acerto também é só do outro, mas não. O relacionamento é um time que avança junto.

Quando a gente começa a gostar da gente, não depende mais do outro para ser feliz, e a consequência disso com certeza é a diversão. Você para de exigir demais do outro, ou se doar demais também, para de julgar demais, e então relaxa. E o que acontece quando a gente relaxa? As coisas fluem naturalmente.

Quando a gente começa a gostar da gente, simplesmente aprende a aceitar as coisas e as pessoas como elas são, mas partindo do ponto da auto aceitação. Você vai perceber que sempre temos uma opinião sobre como o outro vive a vida dele. A gente acha que o nosso jeito é o jeito certo, a forma certa de se viver.

Mas, quando aprendermos a gostar da gente como a gente é, daremos autonomia para a outra pessoa ser quem ela é também. Você perceberá que cada um tem a sua forma de fazer as coisas, e de enxergar o mundo, e por isso não vai mais impor a sua visão de mundo para as pessoas.

Você vai finalmente deixar livre essa crença de que existe alguém para te completar. Deixará a simbiose para lá. Não existirá um você misturado com o outro. Até porque, nesse tipo de relação, quando ambos concordam, ok. Mas e quando houver divergência de opiniões?

Se o outro não pensa como você, você se sentirá pela metade. E é aí que as brigas acontecem. Quanto mais depositamos no outro expectativas para nos sentirmos bem e, o outro não corresponde a essa expectativa, mais agressivos nos tornamos e a consequência disso é o julgamento e as brigas, é claro.

Quando a gente começa a gostar da gente, a gente não mais manipula e compra o outro, para receber em troca o amor. Você deixa o outro livre, pois sabe que quando nos sentimos obrigados a fazer algo, não sentimos prazer em estar nesse relacionamento. Você quer que as pessoas sintam prazer em estar com você, e claro que quer sentir prazer em estar com as pessoas que escolher estar.

Queremos nos sentir bem dentro de nosso corpo. Então chega de perder tempo dizendo para si mesmo que só vai se aceitar se tal coisa acontecer. Se sentir bem, não pode estar condicionado a fatores externos. Auto aceitação tem a ver com desenvolvermos um amor incondicional por quem somos. Independente de quem somos.

Não perca seu tempo com o que é anti-serviço da expansão, o que mascara a sua consciência, o que faz o seu movimento de expansão cessar. Esteja, todos os dias, a serviço da expansão. Deixe fluir a aceitação com tudo o que é.

A vida não é um jogo com adversários. Esqueça essa ideia de concorrentes e adversários porque isso só nos causa sentimento ruins. Lembre- se que no tabuleiro do jogo da vida, você caminhará no seu tempo. Você não precisa correr para alcançar o primeiro lugar. Basta caminhar no seu tempo e na sua direção. A vida é o único jogo que só de jogar, você já será um vencedor.

Você não precisa se matar para ser ou fazer tudo perfeito porque você já é perfeito. E muitas vezes não fazemos algo porque achamos que não ficou bom o suficiente. Muitas vezes ficamos quietos porque não achamos que somos bons o suficiente. E no fundo basta que você faça o que quer fazer porque já sairá perfeito como precisa ser para aquele momento específico.

Quer saber então qual é a fórmula mágica para uma vida fácil? Anote aí:

É melhor feito do que perfeito.
Tudo o que você realmente precisa é fazer tudo no seu tempo, e do seu jeito.

Bruna Pinheiro

Compartilhe com Ética mantendo todos os créditos
Formatação - DE CORAÇÃO A CORAÇÃO
https://www.decoracaoacoracao.blog.br/
https://lecocq.wordpress.com
Instagram - @blogdecoracaoacoracao
Informações e Agendamentos para Mesa Quântica Estelar e Frequência de Cura Arco Iris - lecocqmuller@gmail.com
Grata Bruna!

LUZ!
STELA




Print Friendly and PDF

4 comentários:

  1. Que texto incrível. É longo. Mas não deixa dúvidas. E se aplica a tantas situações. Especialmente pra nós, mulheres, sempre absorvendo milhares de tarefas e tendo pouco tempo pra nós mesmas.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado por este texto fantástico.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o texto! Me emocionei , com todo o conteúdo. Simples e claro, me vi em várias situações e concordo com a visão do emissor.

    ResponderExcluir